Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/981
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Caracterização mineralógica dos basaltos da Pedreira Zé Queiroz, Formação Mosquito, região de Porto Franco, estado do Maranhão
metadata.dc.creator: CARDOSO, Camila Farias
metadata.dc.contributor.advisor1: NASCIMENTO, Rosemery da Silva
Issue Date: 11-Dec-2017
Citation: CARDOSO, Camila Farias. Caracterização mineralógica dos basaltos da Pedreira Zé Queiroz, Formação Mosquito, região de Porto Franco, estado do Maranhão. Orientadora: Rosemery da Silva Nascimento. 2017. 62 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geologia) - Faculdade de Geologia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2017. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/981. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: O Mesozoico é marcado por mudanças significativas, decorrentes da ruptura do megacontinente Gondwana e abertura do Oceano Atlântico Central, estabelecendo um estágio de ativação tectônica, marcado por intenso magmatismo toleítico. Na Bacia do Parnaíba, estes eventos são registrados nas unidades litoestratigráficas Formação Mosquito e Formação Sardinha. A caracterização mineralógica, textural e petrográfica dos níveis de basaltos amigdaloidais da Formação Mosquito em sua ocorrência na Pedreira Zé Queiroz, localizada no município de Porto Franco (MA), possibilitou inferir as suas condições de cristalização magmática e correlacioná-las com rochas de suítes similares. As análises petrográficas permitiram a determinação da assembleia mineralógica dessas rochas, que é composta fundamentalmente por plagioclásio, augita, ilmenita e matriz criptocristalina a vítrea, e subordinadamente podem ocorrer pigeonita e titanomagnetita, além de zeólitas, óxido de ferro e material criptocristalino esverdeado preenchendo as amígdalas, e, como minerais secundários, argilominerais e epidoto. As texturas encontradas nestas rochas são porfirítica e intersertal; e subordinadamente ocorrem ainda as texturas amigdaloidal, glomeroporfirítica, esqueletal, subofítica e variolítica. Os resultados deste estudo levaram ao reconhecimento de dois tipos petrográficos de basalto: basalto microporfirítico com fenocristais de plagioclásio e augita e basalto contendo vidro. O modelo de cristalização proposto sugere que a cristalização tenha ocorrido em duas etapas: I) formação dos minerais opacos, em profundidade, seguida da cristalização das fases essenciais, gerando os fenocristais; II) o magma ascende à superfície e forma matriz microcristalina a vítrea, a presença de voláteis no magma gera vesículas, que, em uma fase pós-magmática, são preenchidas por zeólitas e óxidos de ferro. Finalmente, após a cristalização, a percolação de fluídos levou a formação de fases secundárias, como os argilominerais e epidoto, além da desvitrificação da matriz vítrea. A comparação feita entre as rochas estudadas e as rochas do Magmatismo Penatecaua (Bacias do Amazonas e do Solimões) e da Suíte Apoteri (Bacia do Tacutu), descritas na literatura, sugere uma semelhança entre as composições mineralógicas e texturais destas rochas, além de indicar uma correlação cronológica entre as suítes.
Abstract: The Mezosoic was marked by significant changes, resulting from the rupture of the megacontinent Gondwana and opening of the Central Atlantic Ocean, establishing a stage of tectonic activation, marked by intense tholeiitic magmatism. In Parnaiba Basin, these events are recorded in the lithostratigraphic units Mosquito Formation and Sardinha Formation. The mineralogical, textural and petrographic characterization of the amygdaloidal basalts of the Mosquito Formation in its occurrence in the Zé Queiroz Quarry, located in the city of Porto Franco (MA), made possible to infer their conditions of magmatic crystallization and to correlate them with rocks of similar suites. The petrographic analysis allowed the mineralogical assemblage of these rocks to be determined mainly by plagioclase, augite, ilmenite and cryptocrystalline to vitreous matrix, and pigeonite and titanomagnetite may be present, and also zeolites, titanomagnetite and green cryptocrystalline material filling the amygdales, and as secondary minerals, clay minerals and epidote. The textures found in these rocks are porphyritic and intersertal; and the amygdaloidal, glomeroporphyritic, skeletal, subophitic and variolytic textures still occur. The results of this study led to the recognition of two petrographic types of basalt: microporphyritic basalt with plagioclase and augite phenocrysts and glass-bearing basalt. The proposed crystallization model suggests that crystallization occurred in two stages: I) formation of the opaque minerals, in depth, followed by the crystallization of the essential phases, generating phenocrysts; II) the magma rises to the surface and forms a glassy microcrystalline matrix, the presence of volatiles in the magma generates vesicles, which, in a post-magmatic phase, are filled with zeolites and iron oxides. Finally, after the crystallization, the percolation of fluids led to the formation of secondary phases, such as the clay minerals and epidote, besides the devitrification of the vitreous matrix. The comparison made between the studied rocks and the Penatecaua Magmatism rocks (Amazonas and Solimões Basins) and the Apoteri Suite (Tacutu Basin), described in the literature, suggests a similarity between the mineralogical and textural compositions of these rocks, besides indicating chronological correlation between the suites.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::MINERALOGIA
Keywords: Petrologia
Bacias sedimentares
Basalto
Mineralogia
Formação Mosquito
Maranhão - Estado
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Faculdade de Geologia - FAGEO/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_CaracterizacaoMineralogicaBasaltos.pdf4,6 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.