Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/975
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Relação da morfologia facial e o nível de sonolência em pacientes com a síndrome da apneia obstrutiva do sono
metadata.dc.creator: MOURA, Rafaela Farias de
metadata.dc.contributor.advisor1: BRANDÃO, Gustavo Antônio Martins
metadata.dc.contributor.advisor-co1: SALGADO, Karina Rodrigues
Issue Date: 21-Aug-2018
Citation: MOURA, Rafaela Farias de. Relação da morfologia facial e o nível de sonolência em pacientes com a síndrome da apneia obstrutiva do sono. 2018. 24 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Faculdade de Odontologia, Instituto de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Pará, Belém, 2018. Disponível em: <http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/975>. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: INTRODUÇÃO: A síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS) é uma desordem respiratória crônica, caracterizada pela obstrução da via aérea superior durante o sono. Sonolência excessiva diruna, cansaço ao acordar e alterações psicológicas como estresse e depressão são principais sintomas da síndrome. O objetivo desta pesquisa foi avaliar a relação da morfologia facial e o nível de sonolência em pacientes diagnosticados com a SAOS de um instituto odontológico de Belém. METÓDOS: Foi utilizada uma amostra de conveniência de pacientes diagnósticos com SAOS que procuram o instituto odontológico Dr. Fernão Flexa Ribeiro. Foram utilizadas as fotografias da documentação para ser realizada a análise morfológica, onde os pacientes foram classificados em relação ao biotipo facial como: mesocefálico, braquicefalico e dolicocefalico. Em relação ao perfil facial como: reto, côncavo e convexo e quanto ao palato duro foram classificados como: normal e ogival. A escala de sonolência foi classificada da seguinte forma: Menor que 8 = sonolência normal, 8-10 = sonolência leve, 11-15 = sonolência moderada, 16-20 = sonolência severa e 21-24 = sonolência excessiva. RESULTADOS: Dos prontuários analisados, (50%) eram de mulheres com média de 58 anos e IMC de 28,4. (35,7%) dos homens e (50%) das mulheres foram classificados como braquicefalicos. Quanto à escala de sono, as mulheres tiveram uma maior porcentagem de sonolência moderada, aproximadamente 36%, em relação aos homens. Quando aplicado o teste Qui-Quadrado, índice de correlação de Spearman e a análise de regressão linear múltipla, os resultados obtidos não foram estatisticamente significativos (p>0,05) para todas variáveis. CONCLUSÃO: Os dados deste estudo não foram capazes de confirmar a relação da morfologia facial com a escala de sono de Epworth. No entanto a análise da morfologia facial e a escala de sonolência podem ser usadas para auxiliar no diagnóstico da SAOS.
Abstract: INTRODUCTION: Obstructive sleep apnea syndrome (OSAS) is a chronic respiratory disorder characterized by obstruction of the upper airway during sleep. Excessive drowsiness, wakefulness and psychological changes such as stress and depression are the main symptoms of the syndrome. The objective of this study was to evaluate the relationship between facial morphology and the level of sleepiness in patients diagnosed with OSAS at a dental institute in Belém. METHODS: A convenience sample of patients with OSAS who sought the dental institute Dr. Fernão Flexa Ribeiro. Photographs of the documentation were used to perform the morphological analysis, where the patients were classified in relation to the facial biotype as: mesocephalic, brachycephalic and dolicocephalic. In relation to the facial profile as: straight, concave and convex and as for the hard palate were classified as: normal and ogival. The drowsiness scale was classified as follows: Less than 8 = normal drowsiness, 8-10 = mild drowsiness, 11-15 = moderate drowsiness, 16-20 = severe drowsiness, and 21-24 = excessive drowsiness. RESULTS: Of the charts analyzed, (50%) were women with mean age of 58 years and BMI of 28.4. (35.7%) of the men and (50%) of the women were classified as brachycephalic. As for the sleep scale, women had a higher percentage of moderate drowsiness, approximately 36%, in relation to men. When applied the Chi-Square test, Spearman correlation index and multiple linear regression analysis, the results obtained were not statistically significant (p> 0.05) for all variables. CONCLUSION: Data from this study were not able to confirm the relationship of facial morphology to the Epworth sleep scale. However, the analysis of facial morphology and drowsiness scale can be used to aid in the diagnosis of OSAS.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA
Keywords: Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS)
Morfologia facial e escala de sonolência de Epworth
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Faculdade de Odontologia - FOUFPA/ICS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_RelacaoMorfologiaFacial.pdf382,27 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons