Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/935
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Sinterização de minério de ferro utilizando carvão vegetal como combustível
metadata.dc.creator: MEIRELES, Lourival Miquéias de Araújo
metadata.dc.contributor.advisor1: NEVES, Alacid do Socorro Siqueira
metadata.dc.contributor.advisor-co1: SOUSA, Daniel José Lima de
Issue Date: 14-Dec-2018
Citation: MEIRELES, Lourival Miquéias de Araújo. Sinterização de minério de ferro utilizando carvão vegetal como combustível. Orientador: Alacid do Socorro Siqueira Neves. 2019. 47 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciência e Tecnologia) – Campus Universitário de Ananindeua, Universidade Federal do Pará, Ananindeua, 2018. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/935. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: Para os processos siderúrgicos, geralmente o combustível usado é o coque proveniente do carvão mineral, obtido através da coqueificação. Porém, este trabalho busca a inserção dos finos do carvão vegetal, produto da queima do eucalipto proveniente de resíduos do processo siderúrgico. O carvão vegetal contribui na produção de 42% do aço brasileiro. A moinha possui um alto poder calorífico, que ajuda na queima e na aglomeração de finos. Nesta aglomeração é imprescindível que hajam insumos que visem um melhor aglomerado, com boa resistência mecânica e que seja de boa qualidade para posteriores operações e fins. A adição da moinha de carvão vegetal aumenta a reatividade e a produtividade, importante ressaltar que este combustível é renovável, uma biomassa. Gases liberados pelo carvão vegetal interferem na aglomeração em estudo, a sinterização, que se apresenta como a melhor opção para aglomerar os finos de minério de ferro. O sínter, formado com adição de moinha de carvão vegetal, é um composto dúctil e demonstra boa resistência, propriedade mecânica analisada após ensaios mecânicos. A moinha de carvão vegetal implica na porosidade e é indiretamente proporcional a resistência; portanto, não é vantajoso um sínter com alto grau de poros, pois irá deixá-lo menos resistente.
Abstract: For steelmaking processes, usually the coke used is coke from coal, obtained through coking. However, this work seeks the insertion of charcoal fines, the product of wood burning. Charcoal contributes to the production of 42% of Brazilian steel. The mill has a high calorific value, which helps in the burning and agglomeration of fines. In this agglomeration it is imperative that there is an input that aims at better agglomerate, with good mechanical resistance and that is of good quality for later operations and ends. The addition of charcoal grinder increases reactivity and productivity, important to note that this renewable fuel is a biomass. Few gases released by it do not interfere in the agglomeration under study, the sintering that is presented as the best option to agglomerate iron ore fines. The sinter, formed with addition of charcoal mill, is a ductile compound and shows good resistance, mechanical property analyzed after mechanical tests. Charcoal implies in the porosity with which the resistance is indirectly proportional; therefore, a sinter with a high degree of pore is not advantageous, as it will render it less resistant.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::ENGENHARIAS::ENGENHARIA DE MATERIAIS E METALURGICA::METALURGIA EXTRATIVA::AGLOMERACAO
Keywords: Moinha de carvão vegetal
Aglomeração
Sinterização
Siderurgia
Charcoal
Agglomeration
Sintering
Steel industry
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Curso de Ciência e Tecnologia - CANAN

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_SinterizacaoMinerioFerro.pdf2,02 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons