Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/904
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Verificação experimental e análise de sensibilidade do modelo de Eshelby-Cheng para meios fissurados transversalmente isotrópicos
metadata.dc.creator: NASCIMENTO, Murillo José de Sousa
metadata.dc.contributor.advisor1: FIGUEIREDO, José Jadsom Sampaio de
Issue Date: 20-Mar-2017
Citation: NASCIMENTO, Murillo José de Sousa. Verificação experimental e análise de sensibilidade do modelo de Eshelby-Cheng para meios fissurados transversalmente isotrópicos. Orientador: José Jadsom Sampaio de Figueiredo. 2017. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geofísica) - Faculdade de Geofísica, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2017. Disponível em: <http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/904>. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: O estudo de meios anisotrópicos e meios fissurados é de crescente importância tanto na indústria do petróleo quanto no meio acadêmico. Existem alguns modelos matemáticos para descrever meios fissurados transversalmente isotrópicos, dois importantes são o modelo de segunda ordem descrito por Hudson (1986) e o modelo de primeira ordem de Cheng (1978). Neste trabalho, utilizando o modelo de primeira ordem de Cheng, pretende-se realizar uma analise de sensibilidade dos coeficientes do tensor de rigidez em relação às variações na geometria (na espessura especificamente) das fissuras, para valores fixos das densidades de fissura. Também é proposta a construção de amostras de rochas sintéticas simulando meios anisotrópicos fissurados. A construção das amostras tem o intuído de permitir a verificação experimental do modelo matemático de Cheng, assim servindo de verificação indireta para os resultados obtidos da análise de sensibilidade. A partir de tempos de trânsito medidos das amostras em diversas direções, são calculadas as velocidades de propagação da onda nas amostras e comparadas com as velocidades preditas pelo modelo de Cheng. As velocidades em diversas direções são usadas para quantificar a anisotropia das amostras, pelo calculo dos parâmetros de (THOMSEN, 1986), a partir dos parâmetros de Thomsen, verificamos que a anisotropia cresce com a densidade de fissuras. A partir das derivadas das equações de Eshelby-Cheng, são calculadas a variações relativas de cada coeficiente elástico do meio VTI, Elas mostram que os coeficientes c<sub>11</sub>, c<sub>33</sub> e c<sub>66</sub> tendem a decrescer com um aumento da espessura das inclusões, enquanto que os coeficientes c<sub>44</sub> e c<sub>13</sub> possuem comportamento mixto, também é concluído que meios com fissuras preenchidas por fluido são menos sensíveis à variação da espessura das fissuras.
Abstract: The study of anisotropic fractured medium in seismic is of growing importance for both the oil industry and the academy. There are some mathematical models to describe transversely anisotropic cracked medium, two important ones are the second order model described by Hudson (1986), and the first order static model by Cheng (1978). In this work, using Cheng’s first order model, we analyze the sensitivity of the stiffness tensor coefficients with respect to changes in the crack’s aspect ratio, for fixed values of the crack densities. Then we constructed synthetic rock samples simulating transversely isotropic cracked media. The velocities measured from these samples are used for comparison with the velocities calculated from the stiffness tensor coefficients obtained via Cheng’s model. The comparisons shows that Cheng’s model satisfyingly predicts the behavior of the velocities, besides, it approximates better the experimental results for small crack densities, as expected. The velocities measured from various angles in each sample are used to calculate Thomsen‘s parameters (THOMSEN, 1986) and quantify the anisotropy of the medium as function of crack density, our results suggests that the anisotropy increases with crack density. The derivatives of the stiffness tensor coefficients with respect to crack’s thickness shows us that the coefficients c<sub>11</sub>, c<sub>33</sub> and c<sub>66</sub> tend to decrease with crack’s thickness increase, and the coefficients c<sub>44</sub> and c<sub>13</sub> have mixed behavior, it is also shown that samples with fluid filled cracks are more sensible to variations in crack thickness.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOFISICA
Keywords: Geofísica
Anisotropia
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Faculdade de Geofísica - FAGEOF/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_VerificacaoExperimentalAnalise.pdf2,87 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.