Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/856
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Limitações da setorização sedimentar do estuário Mocajuba
metadata.dc.creator: PEREIRA, Débora Rodrigues
metadata.dc.contributor.advisor1: MONTEIRO, Sury de Moura
Issue Date: 29-Jan-2018
Citation: PEREIRA, Débora Rodrigues. Limitações da setorização sedimentar do estuário Mocajuba. Orientadora: Sury de Moura Monteiro. 2018. 45 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Oceanografia) - Faculdade de Oceanografia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2018. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/856. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: Este estudo trata da dificuldade da identificação dos setores marinhos, transicionais e fluviais em um estuário dominado por macromaré. O objetivo do trabalho é identificar os setores do estuário Mocajuba, nordeste paraense, e se este pode ser setorizado perante suas características sedimentológicas. A partir disso, a nossa hipótese é que o estuário Mocajuba pode ser setorizado quanto às suas características sedimentológicas e que será possível distinguir os seus setores, marinho, intermediário e fluvial. Assim, a técnica aplicada foi a Setorização sedimentar. Os procedimentos analíticos adotados foram: granulometria; quantificação do teor de matéria orgânica e carbonato de cálcio; e tratamento estatístico, através da Análise de Agrupamento e de Componentes Principais. Com isso, obtivemos três grupos: o grupo 1, agrupa as frações arenosas muito finas (57%), pobremente selecionados, assimetria negativa e hidrodinâmica moderada. A porcentagem média de Lama foi 9,39%, MO com 0,67% e CaCO3 com 6,24%. O grupo 2 agrupa as frações arenosas médias (45,5%) e arenosas grossas (31,8%), moderadamente selecionadas, assimetria positiva a muito positiva e alta hidrodinâmica. Apresentou os valores médios de: 5,8% de Lama, 0,68% de MO e 6% de CaCO3. O grupo 3 apresenta o maior número amostral, representado pela fração síltica média (43,8%) e grossa (28,6%), pobremente selecionada, assimetria positiva a muito positiva, e hidrodinâmica moderada. A porcentagem média de Lama foi 83,71%, MO 0,75% e CaCO3 com 9,38%, e atingiu máximo neste grupo, de 20,98% de CaCO3. Contudo, ao propor a Setorização sedimentar a partir de ferramentas estatísticas, observamos empecilhos que mascararam os limites de cada setor. Assim, a Setorização sedimentar foi limitada e não permitiu a aplicação dos modelos estuarinos ao Mocajuba. De início atribuímos esta divergência ao 1) método estatístico utilizado. Porém, observamos que este método é amplamente empregado em diversos estuários de modo eficaz, assim como pode ser aplicado ao estuário Mojuim, adjacente ao Mocajuba. Portanto, refutamos esta hipótese e consideramos que 2) o estuário Mocajuba possui configuração geológica/geomorfológica diferenciada. Assim, esta configuração pode ser consequência: da evolução estuarina; do baixo aporte fluvial; da alta influência marinha; e da orientação retilínea do canal, possivelmente moldada pela presença de uma falha tectônica e ação da maré. Portanto, concluímos que não é possível setorizar o estuário Mocajuba a partir das suas características sedimentológicas.
Abstract: This study deals with the difficulty of identifying the marine, transitional and fluvial sectors in an estuary dominated by macromaré. The aim of this work is to identify the sectors of the Mocajuba estuary, northeastern Pará, and whether it can be sectoralized due to its sedimentological characteristics. From this, our hypothesis is that the Mocajuba estuary may be sectorized as to its sedimentological characteristics and that it will be possible to distinguish its marine, intermediate and fluvial sectors. The applied technique is the Sedimentary Sectorization. The adopted analytical proceedings are granulometry; quantification of organic matter content and calcium carbonate; and statistics treatment, through Cluster Analysis and Principal Components. We obtained three groups: group 1, groups very fine sandy fractions (57%), poorly selected, negative asymmetry and moderate hydrodynamics. The mean percentage of muddy was 9.39%, MO with 0.67% and CaCO3 with 6.24%. Group 2, groups the medium (45.5%) and coarse sandy (31.8%), moderately selected sandy fractions, positive to very positive asymmetries and high hydrodynamic. It presented the average values of: 5.8% of Lama, 0.68% of MO and 6% of CaCO3. Group 3, shows the highest sample number, represented by medium (43.8%) and coarse silte (28.6%), poorly selected, positive to very positive asymmetries, and moderate hydrodynamics. The mean percentage of Lama was 83.71%, MO 0.75% and CaCO3 with 9.38%, and reached a maximum in this group of 20.98% CaCO3. However, when proposing sedimentary sectorization from statistical tools, we observed obstacles that masked the limits of each sector. Hence, the Sedimentary Sectorization through the statistics was limited and did not allow the application of the estuarine models to Mocajuba. Initially we attribute this difference to 1) Statistical method used. However, we observed that this method is widely used in several estuaries as well as can be applied to the estuary Mojuim, adjacent to Mocajuba. Therefore, we refute this hypothesis and consider that 2) the Mocajuba estuary has a differentiated configuration. Therefore, this configuration can be the consequence: of the estuarine evolution; of the low river supply; of the high marine influence; and of the straight channel orientation, possibly shaped by the presence of a tectonic failure and tidal action. We conclude that it is not possible sectorize Mocajuba estuary from its sedimentological characteristics.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::OCEANOGRAFIA
Keywords: Oceanografia
Estuários
Sedimentologia
Rio Mocajuba - PA
Amazônia Brasileira
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Faculdade de Oceanografia - FAOC/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_LimitacoesSetorizacaoSedimentar.pdf2,89 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.