Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/583
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Efeitos de diferentes protocolos de aquecimento sobre o desempenho de repetições máximas e percepção subjetiva de esforço
metadata.dc.creator: BORGES, Eladio Nascimento
metadata.dc.contributor.advisor1: FARIAS, Déborah de Araújo
Issue Date: 24-Jan-2018
Citation: BORGES, Eladio Nascimento. Efeitos de diferentes protocolos de aquecimento sobre o desempenho de repetições máximas e percepção subjetiva de esforço. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Educação Física) -- Campus Universitário de Castanhal, Universidade Federal do Pará, Castanhal, 2018. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/583. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: O aquecimento é uma prática normalmente utilizada com objetivo de otimizar o desempenho e diminuir a incidência de lesões. Quanto ao aumento de desempenho, apesar de haver necessidade de mais investigações, essa parece ser uma ferramenta útil para diversos esportes. Dentre as possibilidades de aquecimentos, pode-se citar o aquecimento geral (AG) que é composto por atividades aeróbicas e o aquecimento específico (AE), o qual incorpora movimentos semelhantes aos da modalidade a qual será realizada. São escassas as evidências no que tange à utilização da combinação desses dois aquecimentos sobre o desempenho de múltiplas séries e percepção subjetiva de esforço no treinamento de força. Portanto, o objetivo do presente estudo foi comparar os efeitos de diferentes protocolos de aquecimento sobre o trabalho total de treinamento e na percepção subjetiva de esforço de membros superiores em indivíduos adultos saudáveis. Foram realizados teste e re-teste de 10 repetições máximas (10RM) no exercício Supino reto com barra (SRB). As quatro sessões subsequentes tiveram como objetivo a aplicação dos protocolos experimentais. Em todos os protocolos foram realizadas 5 séries de SRB com carga de 10RM até atingirem a falha concêntrica. Os seguintes protocolos foram realizados de forma randomizada: Grupo controle (CON); Grupo aquecimento específico (AQE)– duas séries com 15 repetições; Aquecimento geral (AQG) 15 minutos na esteira ergométrica; Aquecimento geral + específico (AQGE) realizou o aquecimento geral e específico com intervalo de 2 minuto entre eles. Os dados apontam que houve diferença significativa no trabalho total do protocolo específico quando comparado com o protocolo controle (p = 0,004), geral (p = 0,002) e combinado (p = 0,010). A percepção subjetiva de esforço (PSE) se evidenciou significativamente menor nas duas primeiras séries do protocolo controle em comparação com os demais protocolos (AQG, AQE e AQGE), os maiores valores de PSE foram notados no protocolo de aquecimento combinado. Em conclusão, os dados do presente estudo apontam que o aquecimento específico pode causar uma diminuição no desempenho de repetições máximas em séries múltiplas no exercício supino reto com barra livre, quando comparado aos aquecimentos geral e combinado. Em relação à percepção subjetiva de esforço, no presente estudo a mesma se mostrou significantemente menor nas séries iniciais do protocolo sem aquecimento, e mais elevada no grupo de aquecimento combinado (geral + específico) porém deve-se analisar a relação do custo benefício sobre o tempo gasto ao utilizar tais aquecimentos
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
Keywords: Treinamento com pesos
Treinamento de força
Exercícios de aquecimento
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Faculdade de Educação Física - FAEF/CCAST

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_EfeitosDiferentesProtocolos.pdf286,36 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons