Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/4255
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Distribuição de mercúrio no Plâncton da Plataforma interna de Cabo Frio, Sudeste do Brasil
metadata.dc.creator: VELOSO, João Antônio Campos
metadata.dc.contributor.advisor1: KÜRTTER, Vinicius Tavares
Issue Date: 4-Feb-2022
Citation: VELOSO, João Antonio Campos. Distribuição de mercúrio no Plâncton da Plataforma interna de Cabo Frio, Sudeste do Brasil. Orientador: Vinicius Tavares Kütter. 2022 . 36 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Oceanografia) – Faculdade de Oceanografia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2022. Disponível em:https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/4255. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: O fenômeno oceanográfico da ressurgência proporciona uma reposição de nutrientes e metais traço para as águas superficiais, estimulando a produção primária. Entre os metais, está o mercúrio, um metal tóxico que pode ser captado diretamente pelo fitoplâncton por difusão passiva. O mercúrio no ambiente pode assumir a forma de metilmercúrio, um composto tóxico que sofre biomagnificação. As ressurgências costeiras abrigam grandes estoques pesqueiros sustentados pela elevada produção primária. Portanto, o mercúrio nessas regiões é uma ameaça direta à saúde humana por meio da ingestão de frutos do mar. Esse trabalho aborda a enseada costeira de Cabo Frio/RJ onde ocorre fenômeno da ressurgência costeira. O objetivo do trabalho é verificar se há influência da ressurgência na concentração de mercúrio no plâncton desta zona costeira. Foi utilizado um banco de dados de concentração de nitrato na água e mercúrio em plâncton referente a uma campanha de coleta realizada em três pontos ao redor da ilha de Cabo Frio no dia 18/11/2015 em conjunto com dados meteorológicos de precipitação, direção e velocidade (m/s) do vento e dados de clorofila-a superficial disponibilizados em um modelo COPERNICUS vinculado a União Europeia. In situ foi medida a salinidade com sonda. As amostras de plâncton foram coletadas através de arrasto horizontal utilizando redes com malha de 20 e 64 μm para fitoplâncton e 150 e 300 μm para zooplâncton. A estas redes foi acoplado um fluxômetro para obtenção do volume de água filtrado durante cada arrasto. No laboratório as amostras de água foram filtradas em filtros 0,45 μm e a determinação de nitrato foi realizada em cromatografia iônica (Modelo: Metrohm). Através da concentração de nitrato (parâmetro que destaca a massa d’água Água Central do Atlântico Sul, ACAS) e com apoio de dados de velocidade de vento e clorofila superficial, foi possível identificar presença da ACAS no ponto de coleta mais próximo da costa da Ilha de Cabo Frio. A concentração de mercúrio no plâncton foi superior no ponto mais distante da linha de costa e também superior no fitoplâncton em comparação com o zooplâncton em todos os pontos. Portanto, pode-se afirmar que durante o dia da coleta houve influência da ACAS em um dos pontos de coleta, sem influência significativa, mas apresentando acumulação direta de mercúrio na malha correspondente ao fitoplâncton e zooplâncton. Logo, o fenômeno da ressurgência pode ser uma fonte direta de mercúrio para a comunidade planctônica que captura esse metal e o torna biodisponível para outros níveis tróficos. Palavras-chave: metais-traço; biomagnificação; clorofila-a; ressurgência. Sudeste.
Abstract: The oceanographic upwelling phenomenon provides nutrient and trace metals replacement to surface waters that stimulates primary production. Among the metals, there is mercury, a toxic metal that can be uptake directly by phytoplankton by passive diffusion. Mercury in the environment can turn into methylmercury, a toxic compound that undergoes biomagnification. Coastal upwellings lodge large fish stocks supported by high primary production. Therefore, mercury in these regions is a direct threat to human health through ingestion of seafood. This work aims to verify if there is upwelling influence on plankton mercury bioassimilation in coastal zone. A database of nitrate concentration in water and mercury in plankton was used relative to a collection campaign carried out in three points around the island of Cabo Frio on 11/18/2015 together with meteorological data on precipitation, direction and wind speed (m / s) and surface chlorophyll data available in a COPERNICUS model linked to the European Union. In situ salinity was measured with a probe. Plankton were collected by horizontal hauls using nets with a 20and 64 μm mesh for phytoplankton and 150 and 300 μm for zooplankton. These nets were coupled to a flowmeter (General Oceanic) to obtain the volume of water filtered during each haul. Water was filtered in the laboratory on 0.45 μm filters and a nitrate determination was performed on ion chromatography (Model: Metrohm). Through the concentration of nitrate (a parameter that highlights the ACAS water mass) and with the support of wind speed and surface chlorophyll data, it was possible to identify the presence of Central South Atlantic Water (CSAW) at the point closest to the coast of Cabo Frio Island. The mercury concentration in plankton was higher at the point farthest from the shoreline and also higher in phytoplankton compared to zooplankton at all points. Thus, during the collection day, there was an influence of CSAW in one of the points with interaction in the assimilation of mercury in plankton. Therefore, the upwelling phenomenon is a direct source of mercury for the planktonic community that captures this metal and makes it bioavailable for other trophic levels. Keywords: trace-metals; biomagnification; chlorophyll-a; upwelling; southeast
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::OCEANOGRAFIA
Keywords: Cromatografia iônica
Biomagnificação
Ressurgência
Sudeste
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD ROM
Appears in Collections:Faculdade de Oceanografia - FAOC/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_DistribuicãoMercurioPlancton.pdf1,39 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons