Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/4065
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Comercialização do açaí como instrumento de etnodesenvolvimento na comunidade extrativista Boa Esperança, cidade de Curralinho - PA
metadata.dc.creator: MORAES, Letícia Santiago de
metadata.dc.contributor.advisor1: MOURA, Gustavo Goulart Moreira
metadata.dc.contributor.advisor1ORCID: https://orcid.org/0000-0001-7157-857X
Issue Date: 7-Feb-2019
Citation: MORAES, Letícia Santiago de. Comercialização do açaí como instrumento de etnodesenvolvimento na comunidade extrativista Boa Esperança, cidade de Curralinho - PA. Orientador: Gustavo Goulart Moreira Moura. 2019. 94 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciado em Etnodesenvolvimento) - Faculdade de Etnodiversidade, Campus Universitário de Altamira, Universidade Federal do Pará, Altamira, 2019. Disponível em: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/4065. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: Este Plano de Ação é uma construção coletiva no contexto de aliança entre os povos e academia produzido a partir das demandas da comunidade extrativista Boa Esperança, cidade de Curralinho-PA. O objetivo é criar melhores condições de comercialização do açaí por meio da Cooperativa dos Produtores Agroextrativistas do rio Pagão (COPA), eliminando atravessadores e possibilitando a sua venda direta ao consumidor por um preço mais justo. A construção deste plano ocorreu por meio de pesquisas participativas realizadas durante os Tempos Comunidades (TC) e de contribuições oriundas das discussões com os docentes e colegas de turma durante os Tempos Universidade (TU), ambos previstos no Projeto Político Pedagógico (PPC) do curso de Licenciatura e Bacharelado em Etnodesenvolvimento da Universidade Federal do Pará (UFPA), de levantamentos bibliográficos e de mobilizações na comunidade sobre as problemáticas e potencialidades. Parte das estratégias construídas coletivamente destacam o protagonismo do grupo, os processos históricos de luta e resistência, e a importância da autonomia dos comunitários na gestão dos seus territórios e recursos. Conforme as investigações realizadas junto ao coletivo Boa Esperança, minha comunidade de pertença, o extrativismo comunitário das práticas de produção e comercialização do açaí resiste aos duros anos de exploração dos recursos madeireiros local. Nos anos 1990, a renda familiar se valia da retirada predatória da madeira e palmito, exploração do látex e coleta de sementes. Nos dias atuais o açaí é nosso principal alimento e renda, mas os canais de comercialização se restringem aos atravessadores e a venda na feira da cidade de Curralinho. A falta de alternativas de mercado resulta em baixos preços de venda durante os meses de maior produção (julho a dezembro). Diante do objetivo e da problemática levantada, este Plano de Ação propõe a realização do acesso aos Mercados Institucionais para compra de alimentos rurais (PAA, PNAE), permanência e melhoramento do porto do açaí e a implementação do décimo terceiro salário extrativista.
Abstract: This Plan of Action is a collective project in the context of an alliance between peoples and academics, and its elaboration is based on the demands of the extractive community Boa Esperança, in the town of Curralinho in the state of Pará. The objective is to create better conditions for the commercialization of Açaí by the Cooperativa dos Productores Agroextrativistas do Rio Pagão (COPA), eliminating middlemen and making it possible to sell the products directly to the consumer at a fair price. The elaboration of this plan took place by way of participatory research conducted during a period of action resarch and contributions from the discussions with the teachers and classmates during the teaching period, with those periods being preconceived in the Political Educational Project of the Bachelor’s degree course in Ethno-Development of the Federal University of Pará (UFPA). Addtional sources were bibliographical surveys and mobilizations in the community regarding its problems and potentials. Some of the collectively constructed strategies highlight the protagonism of the community, the historical processes of struggle and resistance, and the importance of the autonomy of the community in the management of its territories and resources. According to the research carried out together with the community Boa Esperança, my community of origin, the communitarian extractivism of açaí production and its commercialization resisted during the hard years of exploitation of the local wood resources. In the 1990s, the family income in this community was based on the predatory removal of wood and palmtree fruits, latex exploitation and seed collection. Nowadays açaí is our main basis of nutrition and income, but the marketing channels are restricted to the brokers and the sale to the market fair of the town of Curralinho. The lack of alternatives for commercialization results in low sales prices during the months of high production (July to December). In view of the objective and the problem raised, this Plan of Action proposes to enable access to the government-controlled Institutional Markets for purchase of rural foodstuffs (Programa de Aquisicao de Alimentos (PAA), Programa Nacional de Alimentacao Escolar (PNAE)), the maintenance and improvement of the açaí trading locale and the implementation of a thirteenth salary for extractivists.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS
Keywords: Cooperativismo
Cadeia produtiva de açaí
Povos e comunidades tradicionais
Etnodesenvolvimento
Cooperativism
Açai productive chain
Tradicional peoples and communities
Ethnodevelopment
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source.uri: Disponível na internet via correio eletrônico: bibaltamira@ufpa.br
Appears in Collections:Faculdade de Etnodiversidade - CALTA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_ComercializacaoAcaiInstrumento.pdf22,44 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons