Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/3905
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação - Artigo
Title: Concepções sobre o uso do pronome oblíquo átono em início de enunciado na obra Esthesia Philologica (1909), de Augusto Meira
metadata.dc.creator: MACHADO, Danielly Santos
metadata.dc.contributor.advisor1: DUARTE, Raimunda Dias
Issue Date: 16-Feb-2022
Citation: MACHADO, Danielly Santos. Concepções sobre o uso do pronome oblíquo átono em início de enunciado na obra Esthesia Philologica (1909), de Augusto Meira. Orientadora: Raimunda Dias Duarte. 2022. 27 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Letras – Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências da Linguagem, Campus Universitário de Abaetetuba, Universidade Federal do Pará, Abaetetuba, 2022. Disponível em: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/3905. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: Os anos finais do século XIX e os iniciais do século XX concentram discussões muito polêmicas sobre o fenômeno da colocação pronominal. De um lado, gramáticos conservadores buscam legitimar certos usos do português europeu; de outro, intelectuais que legitimam a forma de falar brasileira como parte da construção da identidade nacional. Neste trabalho, discute-se essa temática com o objetivo geral de analisar as concepções sobre o uso do pronome oblíquo átono em início de enunciado na obra Esthesia philologica: variações pronominaes (1909), de Augusto Meira. Para alcançar esse objetivo, busca-se compreender o contexto histórico e linguístico do início do século XX, entender a visão de gramáticos brasileiros e portugueses sobre a colocação pronominal no início do século XX e analisar a visão de intelectuais sobre a próclise em início de enunciado na obra Esthesia philologica (1909). A pesquisa tem como referencial teórico-metodológico Orlandi (2001), Fávero e Molina (2006), Said Ali (2021 [1895], 2008 [1950]), Figueiredo (1909) e Brito (1908). Os dados mostraram que a obra analisada, mesmo tendo sido escrita no início do século passado, traz uma abordagem que busca legitimar a próclise em início de enunciado, variação pronominal que estava (e está) em uso no Brasil. O autor justifica esse uso por meio da ocorrência nos clássicos literários, nas línguas neolatinas e no latim. Considera esse uso superior ao uso em Portugal por julgar que está respaldado na língua latina.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Keywords: Colocação pronominal
Próclise
Esthesia Philologica
Augusto Meira
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Curso de Língua Portuguesa - CABAE

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_ConcepcoesUsoPronome.pdf946,99 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons