Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/3785
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Infância e criança: um estudo no reassentamento urbano coletivo (RUC) São Joaquim, Altamira - PA
metadata.dc.creator: CAVALCANTE, Taynara Aparecida de Sousa
metadata.dc.contributor.advisor1: FREITAS, Léia Gonçalves de
metadata.dc.contributor.advisor1ORCID: https://orcid.org/0000-0003-1852-1106
Issue Date: 10-Sep-2021
Citation: CAVALCANTE, Taynara Aparecida de Sousa. Infância e criança: um estudo no reassentamento urbano coletivo (RUC) São Joaquim, Altamira - PA. Orientadora: Léia Gonçalves de Freitas. 2021. 41 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Pedagogia) - Faculdade de Educação, Campus Universitário de Altamira, Universidade Federal do Pará, Altamira, 2021. Disponível em: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/3785. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: A construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte (UHE Belo Monte) gerou significativas mudanças sociais e culturais no município de Altamira-Pará, alterando o cotidiano das crianças que viviam em áreas classificadas como zonas de risco e vulnerabilidade social. Essas crianças, juntamente com suas famílias, foram remanejadas para os chamados Reassentamento Urbano Coletivo (RUC), o que implicou em alterações dos seus modos de ser e de viver a infância. Nesse sentido, buscou-se analisar como as crianças (res)significam a infância nesse novo cenário habitacional. Trata-se de uma pesquisa etnográfica com abordagem qualitativa, realizada com cinquenta crianças de seis a doze anos de idade. Os resultados demonstram que o remanejamento das crianças e, consequentemente as quebra de vínculos, se desdobrou em experiências e vivências cotidianas diversificadas, resultando em novos arranjos espaciais e, sobretudo, em novas formas de ser e estar em diferentes lugares. Contudo, os novos arranjos espaciais, construídos pelas crianças, evidencia a existência dialógica entre a dimensão social e cultural de forma singular e significativa para os aspectos subjetivos, afetivos e de interação humana.
Abstract: The construction of the Belo Monte Hydroelectric Plant (UHE Belo Monte) generated significant social and cultural changes in the municipality of Altamira-Pará, altering the daily lives of children living in areas classified as risk and social vulnerability zones. These children, along with their families, were relocated to the so-called Collective Urban Resettlement (RUC), which implied changes in their ways of being and living their childhood. In this sense, we sought to analyze how children (res)mean childhood in this new housing scenario. This is an ethnographic research with a qualitative approach, carried out with fifty children from six to twelve years old. The results demonstrate that the relocation of children and, consequently, the breaking of bonds, unfolded in diversified daily experiences and experiences, resulting in new spatial arrangements and, above all, in new ways of being and being in different places. However, the new spatial arrangements, built by the children, show the dialogic existence between the social and cultural dimension in a unique and significant way for the subjective, affective and human interaction aspects.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Keywords: crianças
remanejamento
sociocultura
children
relocation
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source.uri: Disponível na internet via correio eletrônico: bibaltamira@ufpa.br
Appears in Collections:Faculdade de Educação - FAED/CALTA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_InfanciaCriancaEstudo.pdf1,05 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons