Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/3492
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Geologia da Folha Rio Branco (SB-22-Y-V-VI), Província Carajás: mapeamento e integração de dados geológicos
metadata.dc.creator: FAVACHO, Gabriel Guimarães
metadata.dc.contributor.advisor1: OLIVEIRA, Davis Carvalho de
metadata.dc.contributor.advisor1ORCID: https://orcid.org/0000-0001-7976-0472
Issue Date: 22-Feb-2021
Citation: FAVACHO, Gabriel Guimarães. Geologia da Folha Rio Branco (SB-22-Y-V-VI) : Província Carajás: mapeamento e integração de dados geológicos. Orientador: Davis Carvalho Oliveira. 2021. 89 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geologia) - Faculdade de Geologia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2021. Disponível em: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/3492. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: A Província Carajás representa o maior núcleo arqueano preservado do Cráton Amazônico. A área da Folha Rio Branco (SB-22-Y-B-VI) está inserida na porção noroeste da Província, no limite tectônico entre o Domínio Rio Maria e o Carajás, onde afloram diferentes tipos de granitoides e rochas metamórficas de baixo a alto grau. Este estudo trata do mapeamento geológico em escala de semidetalhe desta área, que através de imagens de aerogeofísicas (gamaespectrometria, magnetometria) tem a finalidade de discriminar e individualizar novas unidades geológicas, que segundo estudos anteriores (de escala regional) pertenciam à Suíte Rio Maria e ao Complexo Xingu. Sendo assim, oito anomalias radiométricas foram diferenciadas com base na concentração de elementos radioativos (238U, 40K, 232Th) e notou-se que as do extremo norte eram mais afetadas pelos lineamentos magnéticos, resultando em corpos alongados/sigmoidais. Tais dados aerogeofísicos são refletidos em dois domínios tectônico/geológicos para a Folha Rio Branco: Direcional e Imbricado. O primeiro está presente na porção central até o sul da Folha, é composto por (i) rochas metavulcanossedimentar do Grupo Tucumã e granitoides: (ii) trondhjemito, (iii) suíte sanukitoide, (iv) associação monzogranítica-granodiorítica, (v) rochas máficas/ultramáficas da suíte intrusiva cateté e (vi) charnoquitos e rochas associadas. O quadro estrutural deste domínio é formado por zonas de cisalhamento de direção principal NW-SE que apresentam mergulho moderado a alto para NE e raramente para SW. O segundo domínio (Imbricado) ocorre da porção central até o extremo norte, é composto por rochas metamórficas do (i) Grupo Sapucaia e (ii) gnaisse migmatizado, por vezes, granulitizado e granitoides: (iii) bt-tonalito, (iv) bt-leucogranodiorito, (v) monzogranito milonitizado, (vi) bt-leucogranito, (vii) bt-granito e (viii) rochas máficas/ultramáficas da suíte intrusiva cateté. O arcabouço estrutural deste domínio é composto por zonas de cisalhamento anastomosadas que formam um padrão imbricado de direção principal E-W e apresentam mergulho moderado a alto para N, que impõem as unidades geológicas uma geometria de mesma direção. Três níveis de deformação foram descritos para esse segmento de crosta, assim sendo definidos domínios de baixo, médio e alto grau milonítico que juntos compõem uma deformação heterogênea. As rochas mais antigas possuem escala de batólito que alcançam grandes profundidades da crosta superior em vista de seção, enquanto as mais jovens ocorrem intrudidas na forma de stocks, que quando visualizada em seção não alcançam raízes profundas, com exceção das rochas máficas/ultramáficas que chegam a nível mantélico. Ocasionalmente, tais rochas são mineralizadas com estanho, ouro, ferro e nível e são exploradas em minas como Onça-Puma, Pedreira Milanos, Minera Sul e em garimpos legais e ilegais. A história evolutiva desse segmento de crosta parece indicar uma evolução bastante complexa. A formação dos greenstones belts estaria relacionada a um metamorfismo de platôs oceânicos gerado em regime de transpressão. Assim como admitido para outras áreas da Província Carajás, a formação das áreas de Ourilândia e Tucumã, também teria ocorrido inicialmente em dois estágios no Mesoarqueano. Entre 3,05 a 2,92 Ga, haveria a formação das rochas trondhjemíticas, de afinidade TTG que pode ser explicado tanto por tectônica horizontal ou vertical; entre 2.87 a 2.86 Ga eventos termais fundem o manto metassomatizado, que gera magmas sanukitoide e granitos híbridos, que ao se alojarem na base da crosta, servem como fonte de calor para a fusão das rochas sobrejacentes para geração de granitos alto-K.
Abstract: The Carajás Province represents the largest preserved Archean nucleus of the Amazonian Craton. The Folha Rio Branco area (SB-22-Y-B-VI) is inserted in the northwestern portion of the Province, at the tectonic limit between the Rio Maria Domain and Carajás, where different types of granitoids and metamorphic rocks from low to high grade. This study deals with geological mapping on a semi-detailed scale of this area, which through aerogeophysical images (gamma spectrometry, magnetometry) has the purpose of discriminating and individualizing new geological units, which according to previous studies (regional scale) belonged to the Rio Maria Suite and to the Xingu Complex. Thus, eight radiometric anomalies were differentiated based on the concentration of radioactive elements (238U, 40K, 232Th) and it was noted the anomalies in the far north were most affected by magnetic lineaments, resulting in elongated/sigmoidal bodies. These aero geophysical data are reflected in two tectonic domains for Folha Rio Branco: Directional and Imbricado. The first is present in the central portion to the south of studied area, is composed of (i) metavolcanosedimentary rocks of the Tucumã Group and granitoids: (ii) trondhjemito, (iii) sanukitoide suite, (iv) monzogranitic-granodioritic association, (v) mafic/ultramafic rocks of the Suite Intrusiva Cateté and (vi) charnockites and associated rocks. The structural framework of this domain is formed by shear zones of NW-SE direction with moderate to high dip for NE and rarely for SW. The second domain (Imbricate) occurs from the central portion to the far north, it is composed of metamorphic rocks from (i) Grupo Sapucaia and (ii) migmatized gneiss, sometimes granulitized and granitoids: (iii) bt-tonalite, (iv) bt-leucogranodiorite, (v) mylonitized monzogranite, (vi) bt-leucogranite, (vii) bt-granite and (viii) mafic/ultramafic rocks from the Suite Intrusive Cateté. The structural framework of this domain is composed of astomosed shear zones that form an imbricated pattern of main direction E-W and present a moderate to high dip to N, which impose the geological units a geometry of the same direction. Three levels of formation were necessary for this segment of crust: low, medium and high milonitic grade, which together form a heterogeneous deformation. The older rocks have a scale of batholiths that reach great depths of the upper crust in section view, while the younger rocks occur intruded in the older ones, forming stocks, which when seen in section do not reach deep levels, except mafic/ultramafic rocks that the mantle level reaches. Occasionally, these rocks are mineralized by tin, gold, iron and are mined in mines such as Onça-Puma, Pedreira Milanos, Minera Sul. The evolutionary history of this crust segment seems to indicate a very complex evolution. The formation of the greenstones belts would be related to a metamorphism of oceanic plateaus generated under transpression regime. It was admitted to other areas of the Carajás Province, the formation of the Ourilândia and Tucumã areas would also have occurred initially in two stages in mesoarchean. Between 3.05 to 2.92 Ga, there would be the formation of trondhjemitic rocks, of TTG affinity that can be explained by either horizontal or vertical tectonics; between 2.87 to 2.86 Ga thermal events fuse the metasomatized mantle, which generates sanukitoid magmas and hybrid granites, which when lodged at the base of the crust and serve as a heat source for the melting of the overlying rocks to generate high-K granites.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Keywords: Folha Rio Branco (SB-22-Y-B-VI)
Folha São Félix do Xingu (SB-22-Y-B)
Província Carajás
Cráton Amazônico
Mapeamento Geológico
Aerogeofísica
Carajás Province
Amazonian Craton
Xingu Complex
Aerogeophysics
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Faculdade de Geologia - FAGEO/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_GeologiaFolhaRio.pdf20,88 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons