Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/2965
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Conhecimento das gestantes sobre o parto: a ação educativa objetivando minimizar medos e anseios
metadata.dc.creator: OLIVEIRA, Nazaré do Socorro Oliveira Afonso
AVIZ, Suenne Paes Carreiro de
metadata.dc.contributor.advisor1: FERREIRA, Elisângela da Silva
Issue Date: 10-Jul-2019
Citation: OLIVEIRA, Nazaré do Socorro Oliveira; AVIZ, Suenne Paes Carreiro de. Conhecimento das gestantes sobre o parto: a ação educativa objetivando minimizar medos e anseios. 2019. Orientadora: Elisângela da Silva Ferreira. 75 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Enfermagem) - Faculdade de Enfermagem, Instituto de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Pará, Belém, 2019. Disponível em:https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/2965. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: A gestação compreende a um período marcado por mudanças biopsicossocial, cultura, econômica e espiritual nos quais acarretam na mudança de vida da mulher e de toda a família. Diante dessas transformações, os medos e anseios em relação ao parto, geralmente, estão presentes podendo acarretar em um trabalho de parto mais dificultoso e tornando-se uma experiencia negativa à parturiente. Contudo, o acesso sobre informações durante o pré-natal sobre fisiologia do parto é essencial para que todo esse medo e anseio sejam dissipados. O presente estudo objetiva conhecer a percepção das gestantes sobre a fisiologia do trabalho de parto e parto. Pesquisa descritiva, prospectiva, com abordagem quali-quantitativa realizada com 31 gestantes cadastradas no Programa de Pré-natal da Unidade Municipal de Saúde da Cremação, que atendiam aos seguintes critérios de inclusão: alfabetizadas, na primeira ou segunda gestação, maiores de 18 anos, de risco obstétrico habitual, a partir do segundo trimestre de gestação. Os dados foram coletados por meio de um questionário fechado com questões de múltipla escolha e de forma observacional durante ações educativas realizadas na Unidade. Os dados quantitativos foram analisados por meio de estatística descritiva e, qualitativamente, através de análise de conteúdo. Das 31 gestantes participantes, a maioria tinha menos de 35 anos, possuía ensino médio completo, se encontrava em união estável, estava no segundo trimestre de gestação e recebeu assistência de enfermagem em relação à consulta médica. Sobre os sinais de trabalho de parto, podemos notar semelhança nas respostas, porém o rompimento da bolsa foi o sinal de início de trabalho de parto mais assinalado pelas participantes. Quanto ao tempo de trabalho de parto, a maioria aponta que não há um tempo definido. A metade das participantes das ações educativas acredita que deve esperar as contrações aumentarem para ir ao hospital e a outra metade entende que, ao começarem as contrações, é preciso ir direto a maternidade. Cerca de 88% das participantes relata algum tipo de medo e anseio durante o trabalho de parto, sendo que, a maioria aponta como principal medo “sofrer maus tratos pelos profissionais”, seguido do sentimento de “dor”. Nas ações educativas realizadas observou-se que as gestantes tinham diversas dúvidas sobre a temática abordada e demonstraram desconhecimento sobre a fisiologia do trabalho de parto, contribuindo com experiências anteriores negativas. Observou-se que ações educativas são de extrema importância durante a gestação, mesmo que a gestante não reconheça a necessidade em participar, pois, além de aprimoramento do conhecimento, há uma troca de experiência essencial para o preparo psicológico e físico durante o trabalho de parto e parto, também ressaltamos a relevância de novas abordagens semelhantes ao presente estudo, como forma aperfeiçoar o conhecimento científico dos profissionais obstetras, como também produzir abordagens assistências a mulher e seus familiares de forma humanizada.
Abstract: Gestation comprises a period marked by biopsychosocial, cultural, economic and spiritual changes in which they lead to a change in the life of the woman and the whole family. Faced with these transformations, fears and anxieties about childbirth are generally present, which can lead to more difficult labor and become a negative experience for the parturient. However, access to information during prenatal care on the physiology of childbirth is essential if all this fear and yearnings are to be dispelled. The present study aims to know the perception of pregnant women about the physiology of labor and delivery. A descriptive, prospective study with a qualitative-quantitative approach performed with 31 pregnant women enrolled in the Prenatal Program of the Municipal Cremation Health Unit, who met the following criteria for inclusion: literate in the first or second gestation, older than 18 years, of habitual obstetric risk, from the second trimester of gestation. The data were collected through a closed questionnaire with questions of multiple choice and observationally during educational actions carried out in the Unit. The quantitative data were analyzed through descriptive statistics and, qualitatively, through content analysis. Of the 31 participating pregnant women, the majority were less than 35 years old, had completed high school, were in a stable union, were in the second trimester of pregnancy and received nursing care in relation to the medical appointment. On the signs of labor, we can notice similarity in the answers, but the rupture of the pouch was the sign of the beginning of labor more marked by the participants. As for labor time, most point out that there is no definite time. Half of the participants in educational actions believe that they should wait for the contractions to increase to go to the hospital, and the other half understand that when the contractions begin, one must go straight to the maternity ward. Approximately 88% of the participants report some type of fear and longing during labor, and most of them point out as their main fear "to suffer maltreatment by the professionals", followed by the feeling of "pain". In the educational actions carried out, it was observed that the pregnant women had several doubts about the thematic approach and demonstrated ignorance about the physiology of labor, contributing to previous negative experiences. It was observed that educational actions are extremely important during gestation, even if the pregnant woman does not recognize the need to participate, since, in addition to improving knowledge, there is an exchange of experience essential for psychological and physical preparation during labor and childbirth, we also highlight the relevance of new approaches similar to the present study, as a way to improve the scientific knowledge of obstetricians, as well as to provide approaches to assist women and their families in a humanized way.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM::ENFERMAGEM DE SAUDE PUBLICA
Keywords: Gestante
Parto
Educação em saúde
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD ROM
Appears in Collections:Faculdade de Enfermagem - FAENF/ICS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_ConhecimentoGestantesSobre.pdf1,33 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons