Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/2737
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Suscetibilidade magnética e minerais óxidos de Fe e Ti do granito Boa Sorte , Domínio Carajás
metadata.dc.creator: CUNHA, Caroline da
metadata.dc.contributor.advisor1: OLIVEIRA, Davis Carvalho de
Issue Date: 18-Sep-2013
Citation: CUNHA, Caroline da. Suscetibilidade magnética e minerais óxidos de Fe e Ti do granito Boa Sorte , Domínio Carajás. Orientador: Davis Carvalho de Oliveira. 2013. 60 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geologia) - Faculdade de Geologia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2013. Disponível em: https://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/2737. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: O magmatismo granítico stricto sensu, chamado de Granito Boa Sorte, ocorre na região sudeste do estado do Pará, limite entre os municípios de Agua Azul do Norte e Canaã dos Carajás, inserido no contexto geológico da porção sul do Domínio Carajás. Este é formado predominantemente por monzogranitos que possuem biotita como principal mineral ferromagnesiano, tendo sido inicialmente correlacionado aos corpos peraluminosos da Suíte Plaquê. Estudos de suscetibilidade magnética (SM) realizados em 60 amostras representativas das duas fácies deste granito forneceram valores de SM variáveis, sendo possível identificar duas populações distintas, designadas genericamente de A e B. Os valores de SM do granito variam de 0,0027x10-3 a 27,8000x10-3 SIv, com média de 3,9045x10-3 SIv, aumentando no sentido da população A em direção a população B. As fases minerais opacas presentes nas rochas do Granito Boa Sorte são magnetita, ilmenita (treliça, composite externa e interna e sanduíche) e hematita. Feições texturais e as composições semiquantitativas nos minerais óxidos de Fe e Ti sugerem a existência e a formação da titanomagnetita durante o estágio precoce da cristalização. Processos de desestabilização substituíram parcialmente a magnetita por titanita. Durante o estágio subsolidus, a titanomagnetita originou a magnetita pobre em titânio e a ilmenita em suas variadas formas por processos de oxiexsolução. Em condições mais oxidantes a magnetita foi afetada pelo processo de martitização dando origem à hematita. Os valores mais elevados de suscetibilidade magnética estão relacionados às amostras com maiores conteúdos modais de magnetita, enquanto as amostras que apresentam os menores valores magnéticos possuem magnetitas intensamente martitizadas. Algumas características permitem classificar o Granito Boa Sorte como granito da série da magnetita, entre elas os valores de SM relativamente elevados, bem como o conteúdo modal de minerais opacos (>0,1%) com presença marcante de magnetita em todas as suas fácies. Por meio da natureza dos minerais óxidos de Fe e Ti, foi possível definir que o Granito Boa Sorte foi formado em condições elevadas de fugacidade de oxigênio, entre os tampões HM e FMQ, um pouco acima do NNO, atingindo em condições subsolidus, fugacidades de oxigênio acima do tampão HM.
Abstract: The stricto sensu granitic magmatism, denominated Boa Sorte Granite, that occur in the southeast region of Pará, at the limit between the counties of Água Azul do Norte and Canaã dos Carajás, in the south portion of the Carajás Domain. It is formed predominantly by monzogranites that have biotite as major ferromagnesian mineral, and have been initially correlated to Plaquê Suite. The Magnetic Susceptibility (MS) studies on 60 representative samples of the two different facies of this pluton gave values of SM variables. The behavior of these values allow distinguish two distinct populations, designated of A and B. The values of MS obtained range from 0,0027 x10-3 to 27,8000 x10-3 SIv, with an average 3,9045 x10-3 SIv, increasing from the population A towards to population B. The opaque mineral phases present in the rocks of the Boa Sorte granite are magnetite, ilmenite (trellis, external and internal composite and sandwich) and hematite. Textural features and semiquantitative compositions of the Fe-Ti oxides suggest the existence and formation of titanomagnetite during the early stage of crystallization. Destabilization processes allow the replacement of the magnetite by titanite. During the subsolidus stage, the titanomagnetite originated poor titanium magnetite and ilmenite from oxyexsolution processes. Under more oxidizing conditions the magnetite is affected by the martitization process giving rise to hematite. The highest values of magnetic susceptibility are related to samples with higher modal content of magnetite, while the samples with the lowest magnetic values have magnetite with intense martitization process. Some features allow classify the Boa Sorte granite as magnetite-series granite, which including the relatively high values of SM and the modal content of opaque minerals (> 0.1%) with a strong presence of magnetite in this pluton. Through the nature of Fe-Ti oxide minerals, it was possible to define that the Boa Sorte granite was formed under conditions of high oxygen fugacity, between HM and FMQ buffer, above NNO, reaching in subsolidus condition, fugacity above HM buffer.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Keywords: Geologia estratigráfica – Arqueano
Suscetibilidade Magnética
Granitoide
Domínio Carajás
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Faculdade de Geologia - FAGEO/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_SuscetibilidadeMagneticaMinerais.pdf923,14 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons