Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/2722
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Paleoambiente e geometria deposicional da Formação Pimenteiras na borda leste da Bacia do Parnaíba, Piauí
metadata.dc.creator: ARAÚJO FILHO, Roberto Costa
metadata.dc.contributor.advisor1: NOGUEIRA, Afonso Cesar Rodrigues
Issue Date: 25-Feb-2016
Citation: ARAÚJO FILHO, Roberto Costa. Paleoambiente e geometria deposicional da Formação Pimenteiras na borda leste da Bacia do Parnaíba, Piauí. Orientador: Afonso César Rodrigues Nogueira. 2016. 65 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geologia) - Faculdade de Geologia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2016. Disponível em: https://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/2722. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: A Formação Pimenteiras registra a transgressão marinha mais importante da Bacia do Parnaíba, que ocorreu entre o Mesodevoniano e o Neodevoniano. Na borda leste da bacia, nas proximidades dos municípios de Pimenteiras e Picos (Piauí), são encontradas excelentes exposições desta unidade em drenagens, cortes de estrada e encostas de morros. As análises de fácies e de elementos arquiteturais permitiram reconstituir os paleoambientes e caracterizar a geometria deposicional da Formação Pimenteiras. Foram definidas sete fácies sedimentares, reunidas em duas associações de fácies (AF) e propostos três elementos arquiteturais, que registram depósitos marinhos plataformais (epicontinetais) com influência de ondas de tempestades. A AF1 – offshore – é composta principalmente pela fácies folhelho. A fácies siltito com laminação plano-paralela ocorre pontualmente. A AF2 – offshore transicional – é representada pelas fácies folhelho, siltito com laminação plano-paralela, siltito com laminação ondulada, arenito maciço, arenito com laminação plano-paralela, arenito com laminação ondulada e cruzada e arenito com estratificação cruzada hummocky. A intercalação destas fácies é expressiva na AF2. As AF da Formação Pimenteiras formam um padrão retrogradante-progradante que correspondem a ciclos de raseamento ascendente, provavelmente relacionados a variações relativas do nível do mar. Os arenitos dos topos dos ciclos (AF2) são interpretados como níveis estratigráficos capazes de representar rochas reservatório e os folhelhos da AF1 são as potenciais rochas geradoras. O contato entre as formações Pimenteiras e Cabeças é discordante e marcado por fácies com gêneses distintas. Os depósitos siliciclásticos da Formação Cabeças caracterizam um sistema deltaico que progradou para NW sobre o mar Pimenteiras, como resultado de uma queda no nível relativo do mar no Neodevoniano na borda leste da bacia.
Abstract: The Pimenteiras Formation records de most important marine transgression of Parnaíba Basin, that occurred between the Mesodevonian and the Neodevonian. On the eastern edge of the basin, near the towns of Pimenteiras and Picos (Piauí), are found excellent outcrops of this unit in drainages, road cuts and mountain slopes. The analysis of facies and architectural elements allowed to reconstruct the paleoenvironments and to characterize the depositional geometry of Pimenteiras Formation. Seven sedimentary facies were defined, grouped into two facies associations (FA) and three architectural elements have been proposed, which record continental shelf marine deposits (epicontinental) in influenced by storm waves. The FA1 – offshore – is mainly composed of shale. The parallel laminated siltstone occur locally. The FA2 – transitional offshore – is represented by shale, parallel laminated siltstone, wavy laminated siltstone, massive sandstone, parallel laminated sandstone, wavy and cross laminated sandstone as will as hummocky cross bedded sandstone. The intercalation of facies is expressive in AF2. The FA of Pimenteiras Formation form a retrograding-progradational pattern that correspond to shallowing upward cycles, probably related to relative changes in sea-level. The sandstones of the tops of cycles (FA2) are interpreted as stratigraphic levels able to represent reservoir rocks and the shales of FA1 are the potential generators rocks. The contact between the Pimenteiras and Cabeças formations is discordant and marked by facies with different genesis. The siliciclastic deposits of Cabeças Formation characterize a deltaic system that prograded to NW over the Pimenteiras sea, as a result of a fall in the relative sea-level in the Neoevonian on the eastern edge of the basin.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::SEDIMENTOLOGIA
Keywords: Fácies (Geologia) – Parnaíba, Rio, Bacia (PI e MA)
Formações (Geologia) - Parnaíba, Rio, Bacia (PI e MA)
Geometria - Parnaíba, Rio, Bacia (PI e MA)
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Faculdade de Geologia - FAGEO/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_PaleoambienteGeometriaDeposicional.pdf5,96 MBAdobe PDFView/Open
TCC_PaleoambienteGeometriaDeposicionalPerfil.pdf671,66 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.