Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/2424
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Os basaltos de fundo oceânico e rochas associadas da Região sul da Serra do Tapa - Cinturão Araguaia, sudeste do Pará
metadata.dc.creator: BARROS, Luisa Dias
metadata.dc.contributor.advisor1: GORAYEB, Paulo Sergio de Sousa
Issue Date: 10-Apr-2013
Citation: BARROS, Luisa Dias. Os basaltos de fundo oceânico e rochas associadas da Região sul da Serra do Tapa - Cinturão Araguaia, sudeste do Pará. Orientador: Paulo Sergio de Sousa Gorayeb. 2013. 86 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geologia) - Faculdade de Geologia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2013. Disponível em: https://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/2424. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: No norte do Cinturão Araguaia, na região conhecida como Serra Tapa, nos municípios de Sapucaia e Xinguara, sudeste do Estado do Pará próximo à divisa com o Estado do Tocantins, estão expostos um dos maiores corpos mafico-ultramáficos alongados na direção N-S, que compreende fragmentos preservados da litosfera oceânica do Neoproterozoico do Cinturão Araguaia. A Associação Serra do Tapa é constituída por um conjunto de rochas que compreendem metabasaltos com marcantes estruturas em almofadas, associados com formações ferríferas bandadas, metacherts, silexitos ricos em hematita e/ou magnetita além de metaperidotitos/dunitos serpentinizados, embutidos tectonicamente nas rochas metassedimentares de baixo grau metamórfico, pertencentes ao Grupo Tocantins. A associação dessas rochas é mundialmente interpretada como representação de assoalhos oceânicos e porções do manto superior, denominados de ofiolitos. A partir da descoberta desses corpos no Cinturão Araguaia, a pesquisa abordou quatro ocorrências de metabasaltos almofadados com rochas metassedimentares químicas associadas. Os metabasaltos exibem estruturas em almofadas e apresentam algumas variações tipológicas aqui descritas. Trata-se de um conjunto de derrames com frentes de extravasamento de lavas em ambiente de fundo oceânico, em que posteriormente foram deformadas, transformadas em baixo grau metamórfico, que ainda preserva suas características magmáticas originais. Os basaltos almofados apresentam um zoneamento, em que o núcleo é definido por um basalto maciço de cor marrom esverdeado, afanítico, com textura intersertal composta essencialmente por cristais ripiformes de plagioclásio, clinopiroxênio e vidro vulcânico. Basaltos hipovítreos ocupam a zona de borda de cor verde amarelada, afaníticos e apresentam texturas de resfriamento ultrarrápido como esferulitos, cristais aciculares e radiais de plagioclásio, além de texturas tipo “rabo de andorinha” e seções ocas destes cristais. Os hialoclastitos , nas zonas mais externas, representam brechas de superfícies de derrames basálticos. Finalmente, vidros basalticoss constituem a superfície dos derrames (zona interalmofada) de cor verde escura. Essas rochas ocorrem como camadas e corpos alongados preferencialmente na direção NE-SW com mergulhos suaves para ESE. Os basaltos estão fracamente metamorfisados e a paragênese (Ab + Act + Cl + Ep ± Stp) foi estabilizada em condições da fácies xisto-verde. Estudos mineralógicos complementares de difração de raios-X e MEV foram feitos a fim de caracterizar melhor os minerais constituintes dessas rochas. As formações ferríferas bandadas, caracterizadas como jaspilitos e cherts correspondem à unidade sedimentar química de ambiente oceânico marinho profundo, constituindo a porção superior desta suíte ofiolítica e apresentam porções recristalizadas indicando, também, que foram metamorfisadas. Estas rochas ainda preservam suas estruturas sedimentares primárias como bandamento e laminações plano-paralelas compostas por jaspe ou chert e hematita. Os estudos petrográficos, geoquímica dos basaltos e uso de diagramas geoquímicos revelam a natureza dessas rochas que permitem interpretar como um magmatismo oceânico tipo N-MORB. Considerando os dados de campo, petrográficos, litoquímica e o conhecimento acumulado na literatura sobre estes corpos conclui-se que estes basaltos em associação com peridotitos serpentinizados, jaspilitos e cherts representam frações de uma litosfera oceânica antiga representando um ambiente de fundo oceânico onde se desenvolveu um vulcanismo exalativo e extrusões submarinas de um magma basáltico toleítico durante o estágio inicial de oceanização da Bacia Araguaia, durante o Neoproterozoico. Posteriormente foi obductada e fracamente metamorfisada durante processos de inversão do Cinturão Araguaia, ao longo de zonas de cavalgamento com transporte em direção ao Cráton Amazônico.
Abstract: In Northern Araguaia Belt, in the region known as Serra do Tapa, in the municipalities of Sapucaia and Xinguara, southeast of Pará near the boundary with the state of Tocantins, are exposed one of the largest bodies elongated on N-S direction, and the best preserved lithosphere oceanic fragments of the Neoproterozoic in the Araguaia Belt. The Serra do Tapa Association is consist of a set of rocks that include metabasalts with remarkable pillow structure associated with banded iron formations, metacherts, silexites rich in hematite and / or magnetite plus metaperidotites/serpentinized dunites, tectonically setted in metasedimentary rocks of low-grade metamorphism of the Tocantins Group. The association of these rocks is interpreted as fragments of ancient ocean floors and exposed portions of the upper mantle, called ophiolitic suits. On this view, the study approached four main bodies of pillow metabasalts and chemical metasedimentary associated rocks. The metabasalts exhibit pillow structures and also hyaloclastites, locally. These rocks consists of a series of strokes and lava front overflow on the seafloor environment, on which were subsequently deformed and metamorphosed, but still preserve their magmatic characteristics. These rocks present an internal zoning, in which the core is defined by a green massive basalt, aphanitic, intersertal texture consisting essentially of strip form plagioclases. hypovitreos Basalts of the edge zone of yellowish green color, aphanitic and with ultrafast cooling textures like spherulites, acicular and radial crystals of plagioclase, and also textures like shallow-tail and hollow sections of these crystals. The hyaloclastites represent surface breccias of basaltic flow. They occur in hypovitreo basalts of the dark green interpillow. These rocks define elongated bodies preferentially in the NS direction with gentle dips to ESE. The basalts are weakly metamorphosed and the mineral association stabilized in green schist facies (actinolite, chlorite, epidote, and albite stilpnomelane). Additional studies of X-ray diffraction and Scanning Electron Microscopy (SEM) were performed to better characterize the mineral constituents of these rocks. The banded iron formations, characterized as jaspilites and cherts correspond to the marine chemical sediments of deep ocean marine environment, constituting the upper portion of the ophiolitic sequences present strongly crystallized portions indicating that they were also metamorphosed. These rocks still preserve their sedimentary structures such as banding and plane-parallel laminations composed of jasper or chert and hematite. Litochemical analyzes, based on geochemical classification diagrams, reveal the nature of the metabasalts with subalkaline-tholeiitic signature of oceanic magmatism N-type MORB. Considering the field, petrographic, litochemical data and accumulated knowledge in the literature about these bodies it was concluded that these basalts, jaspilites and cherts are fractions of an ancient oceanic lithosphere which represent an environment where seafloor volcanism developed a submarine exhalative volcanism and tholeiitic basaltic volcanism extrusions during the oceanization stage of the Araguaia basin, during the Neoproterozoic, which was later obducted and weakly metamorfisated during inversion processes of the Araguaia Belt, along overthrust belts with transport toward the Amazonian Craton.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::PETROLOGIA
Keywords: Basaltos almofadados
Rochas sedimentares químicas
Petrologia
Ofiolito
Serra do Tapa (PA)
Cinturão Araguaia (PA)
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Faculdade de Geologia - FAGEO/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_BasaltosFundoOceanico.pdf15,18 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.