Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/2334
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: A caracterização petrográfica e química do Diabásio Penatecaua, na região de Monte Alegre (PA)
metadata.dc.creator: DUTRA, Alessandra de Cássia dos Santos
metadata.dc.contributor.advisor1: NASCIMENTO, Rosemery da Silva
Issue Date: 2010
Citation: DUTRA, Alessandra de Cássia dos Santos. A caracterização petrográfica e química do Diabásio Penatecaua, na região de Monte Alegre (PA). Orientadora: Rosemery Silva Nascimento. 2010. 80 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geologia) - Faculdade de Geologia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2010. Disponível em: https://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/2334. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: Na Bacia Sedimentar do Amazonas, na região de Monte Alegre, oeste do Estado Pará ocorrem soleiras e diques de diabásios intrudidos em rochas da megassequência paleozóica da bacia, com destaque para a porção centro-sul da área, onde estas rochas compõem a proeminente Estrutura Dômica de Monte Alegre. Estas rochas conhecidas como Diabásio Penatecaua são evidências de um expressivo magmatismo básico atuante no Jurássico Inferior, relacionado à ruptura do Pangea e abertura do Atlântico Central. Associadas às rochas básicas de mesma idade que ocorrem nos demais continentes no entorno do referido oceano, as rochas da região de estudo constituem a Província Magmática do Atlântico Central (CAMP). Os objetivos deste trabalho foram o detalhamento da caracterização petrográfica e geoquímica destas rochas. Com base em aspectos mineralógicos e texturais foram individualizados três grupos que são diabásios, olivina-diabásios e olivina basaltos, onde os dois primeiros possuem granulação média e grossa além de uma ampla variação textural que no entanto, é dominantemente subofítica, enquanto os olivina basaltos são porfiríticos e possuem material desvitrificado. Os três grupos são compostos essencialmente por labradorita e pigeonita, enquanto minerais opacos e olivina (quando presente) são varietais e apatita é um acessório. Quanto aos aspectos geoquímicos, em diagramas de classificação estas rochas seguem um trend de basaltos a basaltos andesíticos de afinidade toleítica e com assinaturas geoquímicas, típicas de ambiente intracontinental, provavelmente derivadas de uma fonte mantélica enriquecida com limitada ou nenhuma contaminação crustal. Considerando a razão FeOt/MgO como índice de diferenciação em relação ao TiO2, a maior parte das rochas estudadas pode ser correlacionada ao grupo de toleítos com alto teor de Ti da CAMP, sendo necessários ainda um maior número de análises químicas, para uma correlação mais precisa.
Abstract: In the Amazon Basin located in the region of Monte Alegre, western of the Pará state occur sills and dykes of dolerites intruded in the paleozoic megasequences rocks, with emphasis on the central-southern area, where these rocks form the prominent dome-type structure Monte Alegre. These rocks know as Penatecaua Dolerite are evidences of an expressive basic magmatism that occurred in Lower Jurassic related to the disruption of Pangea and opening of the Central Atlantic. Associated with basic rocks of similar age that occur in other continents in the vicinity of that ocean, the rocks of the study area are within the Central Atlantic Magmatic Province (CAMP). The objectives of this work was the detailed characterization of the petrographic and geochemistry of these rocks. Based on mineralogical and textural features were individualized three sets that are dolerite, olivine-dolerite and olivine-basalt, where the first two are medium and coarse grained and a wide textural variation which, however, is mainly sub-ophitic, while the olivine basalts are porphyritics and have devitrified material. The three groups are composed essentially of labradorite and pigeonite, and opaque minerals and olivine (when present) are varietal and apatite is an accessory. The geochemical aspects in classification diagrams these rocks follow a trend of basaltic andesite to basalt of tholeiitic affinity and geochemistry signatures typical of intracontinental environment, probably derived from an enriched mantle source with limited or no crustal contamination. Whereas the FeOt/MgO reason as index of differentiation with respect to TiO2, most of the studied rocks can be correlated to the group of high-Ti tholeiites of the CAMP, necessitating an even large number of chemical analyses, for a more precise correlation.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::PETROLOGIA
Keywords: Petrografia
Geoquímica
Diabásio Penatecaua
Monte Alegre - PA
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Faculdade de Geologia - FAGEO/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_CaracterizacaoPetrograficaQuimica.pdf10,8 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons