Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/2168
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Caracterização estrutural da sequência metassedimentar da mina Aurizona - (MA)
metadata.dc.creator: FERREIRA, Malu Millena Martins
metadata.dc.contributor.advisor1: PINHEIRO, Roberto Vizeu Lima
Issue Date: 2016
Citation: FERREIRA, Malu Millena Martins. Caracterização estrutural da sequência metassedimentar da mina Aurizona (MA). Orientador: Roberto Vizeu Lima Pinheiro. 2016. 59 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geologia) - Faculdade de Geologia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2016. Disponível em: Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: A Mina Aurizona localiza-se na região nordeste do Brasil, porção litorânea noroeste do estado do Maranhão, no município de Godofredo Viana. A Mina está inserida no contexto geológico do Cráton São Luís, mais especificamente no Grupo Aurizona. O Cráton São Luís é interpretado como fragmento da porção sul do Cráton Oeste Africano, que ficou na Plataforma Sul-Americana após a fragmentação do supercontinente Gondwana. As rochas do Grupo Aurizona compreendem uma sequência metavulcanossedimentar, compostas por tufos, riolítos, metamáficas, xistos e filitos, intrudidos pelas rochas plutônicas da Suíte Tromaí. As rochas expostas na Mina Aurizona compõe uma sequência metavulcanossedimentar, composta por metarritmitos, metagrauvacas, metacherts e metavulcânicas de composição félsica, cordada por diques e veios de diferentes estágios de colocação. As rochas metassedimentares apresentam acamamento primário (S0) bem preservado, o qual tem direção preferencial NE-SW e ângulo de mergulho subvertical, variando entre 70° e 85° para NW e se mantêm constante em ambas as abas da Cava. Nas rochas metassedimentares foi desenvolvida uma foliação secundária, caracterizada pela clivagem espaçada (S1), a qual tem direção preferencial 130° Az na Aba Sul e 050° Az na Aba Norte. Uma terceira foliação (S2) se desenvolveu devido a instalação de bandas de cisalhamento, subconcordantes ao acamamento primário. Ao longo dessas bandas de cisalhamentos são formadas dobras intrafoliais de arrasto com rotação destral. Essas rochas passaram ainda por deformação rúptil, que gerou falhas normais, inversas e direcionais. Embora a presença da clivagem possa indicar dobras, não foram entradas evidências mais direta das mesmas. A associação de rochas vista na mina é semelhante a uma sequência de greenstone protezoico e podem indicar uma possível correlação com as rochas do Supergrupo Birimian, no Cráton Oeste Africano.
Abstract: The Aurizona Mine is located in northeastern Brazil, coastal northwestern portion of the state of Maranhão, in the Godofredo Viana town. The mine is part of the geological context of the São Luís Craton, specifically in Aurizona Group. The São Luís Craton is interpreted as a fragment of the southern portion of the West African Craton which remained in the South American Platform after the fragmentation of the supercontinent Gondwana. The rocks of the Aurizona Group comprise a metavulcanossedimentar sequence composed by tuffs, rhyolites, metamafic, schists and phyllites, intruded by Suite Tromaí’s plutonic rocks. The exposed rocks in the Aurizona Mine are part of a metavulcanosedimentary sequence composed by metarythmytes, metagraywackes, metacherts and metavolcanic rocks with felsic composition, cuted by dikes and veins of different stages of placement. The metasedimentary rocks have primary bedding (S0) well preserved, which has preferred direction NE-SW and subvertical dip angle ranging between 70 ° and 85 ° NW and remains constant in both sides of the hole. In the metasedimentary rocks was developed a secondary foliation, characterized by spaced cleavage (S1), which has preferred direction 130 ° Az in the sounthern side of the hole and 050 ° Az in the northern side. A third foliation (S2) developed due to the installation of shear bands, sub concordant to the primary bedding. Along these shear bands are formed intrafoliation drag folds with dextral rotation. These rocks also underwent brittle deformation, which generated normal, inverse and directional failures. Although the presence of cleavage can indicate folds, no clear evidence of folds was found. The rock association seen in the mine is similar to a proterozoic greenstone sequence and may indicate a possibly correlation with Birimian Supergroup’s rocks in West African Craton.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::SEDIMENTOLOGIA
Keywords: Aurizona
Sequência metavulcanossecedimentar
Cráton São Luís
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Faculdade de Geologia - FAGEO/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_CaracterizacaoEstruturalSequencia.docx38,3 MBMicrosoft Word XMLView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.