Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/1993
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Morfodinâmica de uma praia estuarina: o caso de Beja (Abaetetuba-Pará)
metadata.dc.creator: SOUSA, Maria Bárbara Pereira de
metadata.dc.contributor.advisor1: EL-ROBRINI, Maamar
Issue Date: 29-Aug-2017
Citation: SOUSA, Maria Bárbara Pereira de. Morfodinâmica de uma praia estuarina: o caso de Beja (Abaetetuba-Pará). Orientador: Maamar El-Robrini. 2017. 63 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Oceanografia) - Faculdade de Oceanografia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2017. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/1993. Acesso em :.
metadata.dc.description.resumo: A praia de Beja (Abaetetuba - Pará), possui uma vulnerabilidade à erosão, intensificada principalmente por processos antrópicos como a ocupação desordenada da orla. Em virtude disso, objetivou-se analisar a morfodinâmica da praia de Beja. A metodologia consistiu: (1) na aquisição de dados da topografia da praia, dados hidrodinâmicos, amostragem de sedimentos superficiais e com traps portáteis e, observação da orla da praia para classificação da mesma, através de duas campanhas (no período chuvoso, entre os dias 25 e 27/07/2016 e no período seco, no dia 15/11/2016); (2) análise laboratorial para a separação granulométrica dos sedimentos superficiais e; (3) processamento dos dados para a classificação granulométrica dos sedimentos, morfodinâmica de praia e seus parâmetros morfométricos mediante o uso dos programas SysGran, Grapher e Excel, respectivamente. A praia de Beja foi classificada como intermediária, sendo Bancos Transversais (Ω = 3,06) durante o período chuvoso e Terraço de Baixa Mar (Ω = 2,12) no seco, porém apresentando fortes características dissipativas. O setor central se destacou, manifestando característica erosiva (-21,13 m3/m de volume sedimentar em Novembro) que pode ser explicada pela localização do mesmo, o fenômeno de superlua e a disposição da orla. O transporte de sedimentos foi maior na estação chuvosa e durante a maré enchente (23,60 g/h/m2), devido a intensificação da hidrodinâmica local e da pluviosidade. Em relação a classificação e tipologia da orla, a praia de Beja foi dividida em Orla abrigada não urbanizada ou Classe A e Orla abrigada em processo de urbanização ou Classe B, sendo esta última a classificação mais abrangente da praia. Devido ao crescente processo de urbanização, como a construção da orla, foi causado uma alteração na hidrodinâmica e configuração da praia de Beja.
Abstract: The Beja beach (Abaetetuba - Pará), has a vulnerability to erosion, intensified mainly by anthropic processes such as the disorderly occupation of the shore. For this purpose, we aimed to analyze the morphodynamics of Beja beach. The methodology consisted of: (1) the acquisition of beach topography data, hydrodynamic data, sampling of surface sediments and with portable traps, and beachside observation for classification of the beach, through two campaigns (rainy season, 25-27/07/2016 and in dry season, 15/11/2016); (2) laboratory analysis for the granulometric separation; (3) data processing for morphodynamics classification and morphometric parameters using Grapher and Excel softwares and grading of granulometry using the SysGran software. The Beja beach was classified as intermediate, being Transverse Banks (Ω = 3,06) during the rainy season and Low Tide Terrace (Ω = 2,12) in the dry period, but presenting strong dissipative characteristics. The central sector stood out, showing an erosive characteristic (-21,13 m3/m of sedimentary volume in november) that can be explained by the sector location, the phenomenon of supermoon and the layout of the border. Sediment transport was higher in the rainy season and during the flood tide (23,60 g/h/m2) due to the intensification of local hydrodynamics and rainfall. In relation to the classification and typology of the border, the Beja beach was divided into sheltered Orla not urbanized or Class A and sheltered Orla in process of urbanization or Class B, the latter being the most comprehensive classification of the beach. Due to the increasing process of urbanization, such as the construction of the shoreline, a change in the hydrodynamics and configuration of Beja beach was caused.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::OCEANOGRAFIA
Keywords: Morfodinâmica
Transporte de sedimentos
Orla
Praia de Breja
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Faculdade de Oceanografia - FAOC/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_MorfodinamicaPraiaEstuarina.pdf3,23 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons