Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/1905
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Petrografia e proveniência dos arenitos cambrianos da Formação Diamantino, Sul do Cráton Amazônico, região de Diamantino, Mato Grosso
metadata.dc.creator: FREITAS, Anderson Felipe da Costa
metadata.dc.contributor.advisor1: SILVA JÚNIOR, José Bandeira Cavalcante da
Issue Date: 2012
Citation: FREITAS, Anderson Felipe da Costa. Petrografia e proveniência dos arenitos cambrianos da formação diamantino, Sul do cráton Amazônico, Região de Diamantino, Mato Grosso. Orientador: José Bandeira Cavalcante da Silva Júnior. 2012. 84 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geologia) - Faculdade de Geologia, Instituto de Geologia, Universidade Federal do Pará, Belém, 2012. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/1905 . Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: O último registro de sedimentação da Faixa Paraguai, no sul do Cráton Amazônico, região centro-oeste do Brasil é representado pelos depósitos siliciclásticos da Formação Diamantino do Grupo Alto Paraguai, de idade neoproterozoica-cambriana. As melhores exposições da Formação Diamantino ocorrem na região da cidadede Diamantino, Estado do Mato Grosso, inserida na sub-bacia foredeep de Barra do Bugres. Análises petrográficas nos arenitos das associações de turbiditos, prodelta/mar restrito e frente deltaica da Formação Diamantino, em combinação com estudos de proveniência por meio de minerais pesados, paleocorrente e datação de zircão detrítico permitiram desvendar as prováveis áreas-fonte da Formação Diamantino. Subarcósios e grauvacas feldspáticas predominam na associação de fácies de turbiditos, sublitarenitos, subarcósios e grauvacas líticas caracterizam os depósitos de prodelta/mar restrito e litarenitos e litarenitos feldspáticos ocorrem nos depósitos de frente deltaica. Os arenitos foram submetidos aos estágios eo a mesodiagenético, que incluem infiltração mecânica de argila, cimentação por hematita e calcita, sobrecrescimento de quartzo e feldspato, compactação mecânica e química.Os minerais pesados identificados foram zircão, turmalina, rutilo, granada e, subordinadamente, apatita, sillimanita, calcita, anfibólio, piroxênio, clorita e monazita.Os arenitos da Formação Diamantino são supermaturos, mas o alto valor do índice ZTR (% zircão + turmalina + rutilo) pode ser menor devido a não identificação de grãos instáveis envoltos por películas de óxido-hidróxido de ferro.Datações geocronológicas de zircão detrítico da associação de frente deltaica indicaram uma idade neoproterozoica-cambriana para a Formação Diamantino, com uma idade mínima de deposição após 541 ± 7 Ma. A fonte deste material teria origem do próprio cinturão de cavalgamento a ESE, indicado também pelos dados de paleocorrentes dos lobos deltaicos com migração preferencial para NW e SW. As rochas metassedimentares do Grupo Cuiabá de idade Neoproterozoica seriam as possíveis fonte para a sedimentação Diamantino, concomitante a fase inicial de colisão que levou a estabilização da Faixa Paraguai Norte no final do Neoproterozoico.
Abstract: The last sedimentary record of the Paraguay belt, in the southern Amazon craton, central-western Brazil, is represented by siliciclastic depositsof the Neoproterozoic-Cambrian Diamantino Formation belonging to the Alto Paraguai Group. The best exposures of Diamantino Formation occur in the Diamantino city region, State of Mato Grosso, inserted in the Barra dos Bugresforedeep sub-basin. Petrographic analyzes in the sandstones of the three facies associations of the Diamantino Formation, combined with the provenance studies of heavy minerals, paleocurrent measures and detrital zircon dating allowed to determine the probable sourcelands of the Diamantino Formation. Feldspathic greywacke and subarkose predominate in the turbidite facies association, sublitharenite, subarkose and lithic greywacke characterize the prodelta/restricted sea association and litharenite and feldspathic litharenite occur in the delta front deposits. The sandstones were submitted to the eodiagenetic and mesodiagenetic stages, which include mechanical infiltration of clay, hematite and calcite cementation, quartz and feldspar overgrowth, mechanical and chemical compaction. The heavy minerals include zircon, tourmaline, rutile, garnet, and subordinately apatite, sillimanite, calcite, amphibole, pyroxene, chlorite and monazite. The sandstones of Diamantino Formation are supermature but the higher ZTR index (% zircon + tourmaline + rutile) value could be lower due the non-recognition of unstable minerals with iron oxide-hydroxide coatings. Geochronological dating of detrital zircon of delta front association indicate a Neoproterozoic-Cambrian age to the Diamantino Formation, with a minimum deposition age after 541 ± 7 Ma. The provenance of this material would be the thrust belt to the ESE, indicated by paleocurrent data of deltaic lobes with preferential migration towards NW and SW. The metassedimentary rocks of Neoproterozoic Cuiabá Group will be the probable source to the Diamantino sedimentation, concomitant to the initial phase of collisional event that led the stabilization of Northern Paraguay belt in the terminal Neoproterozoic.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Keywords: Petrologia
Geologia Sedimentar
Petrografia
Formação Diamantino
Sul do Cráton Amazônico
Mato Grosso - MT
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Faculdade de Geologia - FAGEO/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_PetrografiaProvenienciaArenitos.pdf7,68 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons