Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/1878
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Alteração potássica em rochas gabroicas hospedeiras de minério de Cu e Au no depósito Visconde, região de Carajás
metadata.dc.creator: SANTOS, Camila Marques dos
metadata.dc.contributor.advisor1: VILLAS, Raimundo Netuno Nobre
Issue Date: 2012
Citation: SANTOS, Camila Marques dos. Alteração potássica em rochas gabroicas hospedeiras de minério de Cu e Au no depósito Visconde, região de Carajás. Orientador: Raimundo Netuno Nobre Villas. 2012. 90 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geologia) - Faculdade de Geologia, Instituto d Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2012. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/1878. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: O presente estudo tratou da alteração potássica que as rochas máficas, possivelmente gabros/(quartzo)dioritos, experimentaram durante o evento que gerou o depósito cupro-aurífero Visconde. Não foi possível determinar a composição original dessas rochas, porém a associação mineral pré-alteração hidrotermal consistia de plagioclásio, Mg-hornblenda e magnetita, além de quantidades subordinadas de quartzo, a qual foi submetida a metassomatismo sódico-cálcico que produziu caracteristicamente Fe-pargasita e escapolita. Biotita é o mineral típico da alteração potássica e sua abundância permitiu reconhecer rochas pouco (≤10%), moderada (10-40%) e intensamente biotitizadas (>40%). Esta mica substituiu a Fe-pargasita e outros minerais, porém também foi precipitada diretamente dos fluidos hidrotermais. A variedade pouco biotitizada preservou localmente a textura subofítica e é composta principalmente de Mg-hornblenda, Fe-pargasita, plagioclásio e biotita. A variedade moderadamente biotitizada é, em geral, estruturada e, além da biotita, consiste de Fe-pargasita, actinolita, plagioclásio, escapolita e quartzo, com quantidades menores de epidoto, clorita, magnetita e sulfetos. Por seu turno, a variedade intensamente biotitizada é constituída de biotita >> escapolita > Fe-pargasita, actinolita > quartzo, plagioclásio, turmalina, epidoto, clorita, magnetita, sulfetos, com algumas amostras exibindo notável foliação milonítica. À medida que o grau de biotitização aumentou, as rochas tenderam a se enriquecer em K2O e MgO, e se empobreceram em CaO e Na2O, refletindo a substituição dos minerais sódico-cálcicos por biotita. Elas também foram enriquecidas em Rb e Ba, e empobrecidas em Sr com o avanço da biotitização. A relação KxRb é essencialmente linear, de sorte que o conteúdo de Rb pode servir para distinguir as amostras pouco (Rb<125 ppm), moderada (125<Rb<225 ppm) e intensamente alteradas (Rb>225 ppm). Por outro lado, observa-se relação antipatética entre K e Sr, significando dizer que o Sr foi removido juntamente com o Ca durante a substituição dos anfibólios e escapolita pela biotita. Os fluidos hidrotermais foram capazes igualmente de transferir Ni, Co, Cu e Au às rochas, tanto mais quanto maior foi o grau de biotitização, sugerindo uma relação direta entre a alteração potássica e a mineralização. Eles foram capazes, de outra feita, de retirar ETR das rochas, registrando-se os menores totais na variedade intensamente biotitizada, sem, contudo, modificar significativamente o padrão de distribuição destes elementos.
Abstract: This study dealt with the potassic alteration that affected the mafic rocks associated with the Cu-Au mineralization of the Visconde deposit. These rocks have been considered as gabbros/(quartz)diorites, although their original composition could not have been determined. The pre-hydrothermal alteration mineral association consisted mostly of Mg-hornblende, plagioclase, magnetite ± quartz, which underwent sodic-calcic metasomatism and produced mainly Fe-pargasite and scapolite. Biotite is the typical mineral of the superimposed potassic alteration and, according to its abundance, could be recognized weakly (≤10%), moderately (10-40%) and strongly (>40%) biotitized rocks. This mica has not only replaced pre-existing minerals, notably Fe-pargasite, but also has precipitated from hydrothermal fluids. The weakly biotitized variety has locally preserved the subofitic texture and its is mainly composed of Mg-hornblende, Fe-pargasite, plagioclase and biotite. The moderately biotitized variety is, in general, foliated and, in addition to biotite, consists of Fe-pargasite, actinolite, plagioclase, scapolite, quartz and minor amounts of epidote, chlorite, magnetite and sulfides. In turn, the strongly biotitized variety commonly shows mylonitic foliation, being made up of biotite>>scapolite>Fe-pargasite, actinolite>quartz, plagioclase, tourmaline, epidote, chlorite, magnetite and sulfides. As the degree of biotitization increased, the rocks tended to be enriched in K2O, MgO, K and Ba, and empoverished in CaO, Na2O and Sr in response to the replacement of sodic-calcic minerals by biotite. The relationship between K and Rb is essentially linear, so that the Rb content can be used to distinguish weakly (Rb<125 ppm), moderately (125< Rb<225 ppm) and strongly (>225 ppm) biotitized varieties. On the other hand, K and Sr show an antipathetic relationship, meaning that Sr was removed along with Ca during the replacement of amphiboles and scapolite by biotite. The higher the degree of potassic metasomatism, the higher the amounts of Ni, Co, Cu and Au transferred to the rocks by the hydrothermal fluids, suggesting a direct link between the potassic alteration and the mineralization. These fluids were also capable of sscavaging REE from the rocks without modifying significantly their distribution patterns. The lowest values for REE are recorded in the strongly biotitized rocks.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Keywords: Metalogênese
Alteração potássica
Biotitização
Depósito Visconde (Região dos Carajás)
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Faculdade de Geologia - FAGEO/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_AlteracaoPotassicaRochas.pdf8,31 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons