Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/1868
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Geocronologia e Paleoambiente de rochas carbonáticas do grupo tucavaca (Bolívia), com base nos isótopos de Sr, C E O
metadata.dc.creator: CAMPOS, Amélia Carolina Pimenta Parente de
metadata.dc.contributor.advisor1: MACAMBIRA, Moacir José Buenano
Issue Date: 7-Mar-2012
Citation: CAMPOS, Amélia Carolina Pimenta Parente. Geocronologia e Paleoambiente de rochas carbonáticas do grupo tucavaca (Bolívia), com base nos isótopos de Sr, C E O. Orientador: Moacir José Buenano Macambira. 2012. 92 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geologia) - Faculdade de Geologia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2012. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/1868. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: O estudo das rochas carbonáticas é de suma importância para o entendimento e caracterização de depósitos de hidrocarbonetos, uma vez que 50% do petróleo mundial estão associados a estas rochas. A Bolívia é um grande exemplo, pois atualmente é a maior exportadora e possui a segunda maior reserva de gás natural da América do Sul. O Grupo Tucavaca ocorre em uma vasta área da Bolívia oriental, denominada Aulacógeno Chiquitos-Tucavaca, o qual é considerado um rift abortado de uma junção tríplice, também denominada como Faixa Tucavaca. A estratigrafia da bacia Tucavaca é representada, da base para o topo, por uma sequência constituída pelo Grupo Boquí seguido pelo Grupo Murciélago e o Grupo Tucavaca. O Grupo Tucavaca é formado por conglomerados da Formação Pacobillo, carbonatos da Formação Pororó, arenitos da Formação Bocamina e, folhelhos, argilitos e siltitos da Formação Pesenema. O grupo em questão é carente de estudos paleoambientais e a idade de sua deposição ainda é incerta. Assim, em busca dessas informações, empreenderam-se estudos isotópicos de C, O e Sr nos carbonatos da Formação Pororó. Com esse objetivo, as amostras coletadas foram previamente submetidas a análises petrográficas e por fluorescência de raios-X, a fim de selecionar as mais apropriadas para as análises isotópicas. Os carbonatos aqui estudados foram individualizados em três microfácies: dolomito fino laminado, dolomito e brecha dolomítica. Os estudos de isótopos estáveis foram realizados em todas as amostras da sequência e as amostras selecionadas para as análises de Sr foram TUCA – 1, TUCA – 3 e TUCA – 8. Os valores obtidos para 13C e 18O são negativos variando de -5,24 a -2,56‰ e -7,16 a -4,59‰, respectivamente. As razões 87Sr/86Sr obtidas foram de 0,707712 (TUCA – 8), 0,707925 (TUCA – 1) e 0,710183 (TUCA – 3). Os valores de 18O encontram-se dentro do limite estabelecido como parâmetro para carbonatos neoproterozóicos considerados isotopicamente inalterados, determinado como <-10‰. Os valores negativos de 13C indicam a baixa ou inexistente atividade biológica no oceano e a possível incorporação da matéria orgânica nos sedimentos carbonáticos. As razões 87Sr/86Sr obtidas posicionaram as rochas estudadas no final do Neoproterozóico (Ediacarano), no intervalo entre 580 e 560 Ma.
Abstract: The study of carbonate rocks is very important for the understanding and characterization of hydrocarbonate deposits, since 50% of world oil is associated to these rocks. Bolivia is a great example, because it is today the largest exporter and has the second largest natural gas deposit in South America. The Tucavaca Group occurs in a wide area of eastern Bolivia, denominated Chiquitos-Tucavaca Aulacogen, which is considered an aborted triple junction rift, also known as Tucavaca belt. The stratigraphy of the Tucavaca basin is represented by a sequence made up, from the bottom to the top, of the Boqui Group, followed by the Murcielago Group and the Tucavaca Group. The Tucavaca Group is composed of conglomerates of the Pacobillo formation, carbonates of the Pororó formation, sandstones of the Bocamina formation and shales, mudstones and siltstones of the Pesenema formation. The group in question is devoid of paleoenvironmental studies and the age of deposition is still uncertain. So, C, O and Sr isotopes studies were carried on carbonates of the Pororó formation. For this purpose, carbonate samples were previously submitted to petrographic and X-ray fluorescence analyses in order to select the most appropriate samples for isotopic analyses. The carbonates studied here were individualized in three microfacies: laminated fine dolomite, fine dolomite and dolomitic breccia. The stable isotope studies were performed on all samples of the sequence and the samples TUCA – 1, TUCA – 3 and TUCA – 8 were selected for Sr analysis. Values of 13C and 18O are negative, ranging from -5.24 to -2.56‰ and -7.16 to -4.59‰, respectively. 87Sr/86Sr ratios are 0.707712 (TUCA – 1), 0.707925 (TUCA – 8) and 0,710183 (TUCA – 3). 18O values are within the limit set as a parameter of Neoproterozoic carbonates considered isotopically preserved, determined such as >-10‰. The negative values of 13C indicate low or no biological activity in the ocean and the possible incorporation of organic matter in carbonate sediments. The 87Sr/86Sr ratios place the samples at the end of Neoproterozoic (Ediacaran), between 580 and 560 Ma
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Keywords: Geologia isotópica
Grupo Tucavaca
Carbonatos neoproterozóicos
Paleoambiente
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Faculdade de Geologia - FAGEO/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_GeocronologiaPaleoambienteRochas.pdf6,58 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons