Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/1845
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Caracterização espaço-temporal da atividade pesqueira de pargo através de dados de desembarque da região estuarina do rio Caeté , Bragança (Pará)
metadata.dc.creator: JIMENEZ, Érika Antunes
metadata.dc.contributor.advisor1: BRAGA, Cesar França
Issue Date: 2008
Citation: JIMENEZ, Érika Antunes. Caracterização espaço temporal da atividade pesqueira de pargo através de dados de desembarque da região estuarina do rio Caeté , Bragança (Pará) . Orientador : César França Braga. 2008. 75 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Oceanografia) – Faculdade de Oceanografia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2008. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/1845. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: Caracterizou-se a atividade de larga escala do pargo através de dados de desembarques dos portos do estuário do Caeté durante o período de jun/00 a jun/01. Os dados foram coletados sob a forma de um censo através de questionários aplicados aos pescadores nos principais portos da região bragantina. Posteriormente os dados foram tratados estatisticamente através de análises de variância paramétricas ou não-paramétricas, dependendo se cumpridos ou não os pressupostos de normalidade e homocedasticidade. Registrou-se 47 embarcações de larga escala atuando na captura de pargo, sendo 39 barcos de médio porte e 8 industriais. Contabilizou-se um total de 143 desembarques, todos em Bacuriteua e Bragança, sendo que 65,03% ocorreram em Bacuriteua, possivelmente por estar situado mais próximo à saída do estuário, diminuindo custos e tempo de retorno às pescarias. Registrou-se que 63,83% das embarcações eram originárias do Ceará, principalmente barcos de médio porte, dos quais 63% procederam de Camocin (CE), confirmando o deslocamento das frotas em direção ao norte do Brasil em busca de pesqueiros mais promissores. Durante o período estudado a produção total desembarcada foi de 520,219 toneladas de pargo, destacando-se a atuação dos barcos de médio porte, os quais foram responsáveis por 65,73% do total de desembarques. A captura de pargo foi realizada com as artes de pesca caícos e bicicletas, sendo esta ultima responsáveis por 89,90% do total desembarcado. A reduzida utilização dos caícos está associada à baixa qualidade do pescado capturado com este tipo de arte. A maior parte da produção desembarcada foi proveniente da costa do Amapá. Isto porque o esforço de pesca tende a se concentrar nas áreas onde a densidade é mais elevada. Esse fato está associado à Corrente Norte do Brasil, que transporta parte da descarga do rio Amazonas para a costa deste estado. Tanto no período seco quanto no chuvoso as capturas se concentraram na costa do Amapá, com apenas alguns locais isolados de pesca na costa paraense. Os índice de CPUE não apresentaram diferenças significativas entre os meses, indicando que este recurso ocorre durante todo o ano, com pico de captura no mês de junho. O aumento da produção a partir de maio até agosto coincide com o período em que os cardumes encontram-se mais próximos da superfície. Os menores volumes desembarcados corresponderam aos meses de janeiro e abril, período em que os cardumes encontram-se em zonas mais profundas ocasionando uma maior duração das viagens e, consequentemente, um menor número de desembarques. Assim, quando as embarcações retornam das pescarias pôde-se notar picos de alta produção (meses de fevereiro, março e maio). Estimou-se que a produção de pargo, no período estudado, gerou uma receita de R$ 2.090.299,50, o que demonstra a alta rentabilidade da pesca de larga escala deste recurso na região bragantina. As capturas realizadas na costa do Amapá foram responsáveis por 94,32% (R$ 1.971.513,00) do rendimento total. O valor médio de mercado do kg do pargo foi de R$ 4,02, não apresentando grandes variações ao longo do período estudado.
Abstract: The large-scale landings of pargo (Lutjanidae spp.) on Caeté estuary main ports from june/00 to june/01 was characterized in this study. Data were collected with a questionnaires applied to fishermen in Bragança region. The data were treated statistically by parametric or nonparametric analysis of variance, depending of the assumptions of normality and homoscedasticity. Plots of production were constructed to distinguish the spatial and temporal catches at the Brasil north coast. 47 fishery boats were recorded operating in large-scale pargo capture, with 39 medium-sized and 8 industrial fishery boats. In the cities of Bacuriteua and Bragança there were a total of 143 landings. 65.03% occurred in Bacuriteua, possibly to be located closest to mouth of the estuary, reducing costs and time to return to the fisherie activity. 63.83% of the boats has their origin from Ceará Estate, medium-sized boats mainly, with 63% came from Camocin (CE), confirming the migration of fishery fleet to north of Brazil, searching more promising resources. During this study, a total production of 520,219t of pargo was landed, especially for medium-sized boats, responsible for 65.73% of total. The capture was made by “caicos” and “bicycles” fishery gears, the latter being responsible for 89.90% of total production. The luse of the “Caicos” was associated with low quality of the fish caught with this gears. Most of the production was captured at the coast of Amapá Estate because the fishery effort tends to concentrate in areas where the density is higher. Beside that, the North Brazil Current, carries the discharge of Amazon River to the coast of this state. The mainly catches was made at Coast of Amapá at both dry and rain seasons, with only some isolated places at Pará State coast. The CPUE index analysis showed no significant differences between months, indicating that this feature occurs throughout the year, with differential peak catches in June. A increase in production from May to August coincides with the period which the pargo schools are located near from surface. The lower production corresponded to January and April, when the schools are in areas deeper causing longer fishery traveling and thus a smaller number of landings. When the fishery boats return from fisheries, peaks of high production can be noted in February, March and May. It was estimated in this study that the pargo production was responsible for R$ 2,090,299.50, which demonstrates the high profitability of large-scale fisheries of this resource for region. Catches taken on coast of Amapá were responsible for 94.32% of total income. The average market value of the pargo at first sale was R$ 4.02, showed no major changes over the period.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::OCEANOGRAFIA
Keywords: Pesca de larga escala
Pargo
Desembarque pesqueiro
Distribuição espaçotemporal
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Faculdade de Oceanografia - FAOC/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_CaracterizacaoEspacoTemporal.pdf2,57 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons