Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/1811
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Caracterização petrográfica dos basaltos da Região de Tucuruí-PA
metadata.dc.creator: CUNHA, Rômulo Gustavo Borges da
metadata.dc.contributor.advisor1: GORAYEB, Paulo Sergio de Sousa
Issue Date: 2011
Citation: CUNHA, Rômulo Gustavo Borges da. Caracterização petrográfica dos basaltos da Região de Tucuruí-PA. Orientador: Paulo Sergio de Sousa Gorayeb. 2011. 77 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geologia) - Faculdade de Geologia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2011. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/1811. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: O trabalho tem como área geográfica a região de Tucuruí no nordeste do Estado do Pará, mais especificamente a área da Usina Hidrelétrica de Tucuruí e arredores. Geologicamente faz parte do Cinturão Araguaia cuja unidade litoestratigráfica principal na área é o Grupo Tucuruí o qual compreende uma sucessão magmática-sedimentar do Neoproterozóico. O estudo tem como enfoque a caracterização geológica e petrográfica das rochas basálticas e associadas do grupo Tucuruí com objetivo de definir os litotipos, caracterizar a natureza desse magmatismo e situá-los no contexto evolutivo do Cinturão Araguaia. A análise petrográfica, envolveu descrição de amostra de mão e de lâminas delgadas sob microscopia ótica das principais rochas coletadas, análises texturais/microestruturais, caracterização de minerais essenciais, acessórios e secundários e a classificação dos litotipos. Estes estudos foram complementados por microscopia eletrônica de varredura. Com este estudo foi ampliado o conhecimento desta sucessão de derrames basálticos tão pouco estudados, porém com diversas ocorrências na referida região. Os basaltos estudados constituem uma secessão de pelo menos dois derrames intercalados aos arenitos arcosianos, tendo espessura de aproximadamente 15 m. Os estudos petrológicos revelaram três grupos petrográficos incluindo basaltos maciços, basaltos amigdaloidais e brechas de derrame. Além disso, é possível ainda, caracterizar subtipos pelas variações mineralógicas e texturais. Os basaltos maciços representam as rochas mais expressivas e ocorrem em diversas partes da área do Grupo Tucuruí. Petrograficamente os basaltos são afaníticos, de cor cinza esverdeada, homogênea e maciça e com fraturamento conchoidal. No geral apresenta textura intergranular e intersetal. Os basaltos amigdaloidais são de cor cinza escura, heterogênea, maciça, afanítica, de granulação muito fina e fratura conchoidal. Do ponto de vista textural esta rocha apresenta variação de tipos, destacando as texturas intergranular, intersetal e amigdaloidal. Na primeira, a mineralogia essencial composta de plagioclásio e clinopiroxênio, é envolvida por material vítreo, assim como os minerais opacos como acessórios e, secundariamente, epidoto e clorita. Na segunda, o clinopiroxênio preenche os espaços entre as ripas de plagioclásio, logo o arranjo se caracteriza como sendo de textura intergranular. Esta última, preferencialmente, demarca zonas superiores do derrame e caracteriza-se por apresentar amígdalas com diâmetros de dimensões entre 2 a 7 mm preenchidas por minerais de baixa temperatura (clorita, quartzo e epidoto). Os fragmentos constituintes desta brecha magmática são de arenitos e basaltos com dimensões que variam de 1 a 10 cm. Eles são bastante irregulares, onde os fragmentos angulosos do arenito estão englobados pelo basalto. Os fragmentos de arenitos são de cor cinza avermelhado escuro, granulação muito fina e fortemente brechados com veios de quartzo de dimensões milimétricas. As porções basálticas da brecha têm cor cinza escuro, afanítica, homogêneo, maciço, apresentando textura intergranular. A mineralogia essencial é composta de plagioclásio, clinopiroxênio e subordinadamente minerais opacos. Como conclusão eles representam um evento vulcânico de natureza basáltica, provavelmente toleítica do final do Neoproterozóico, que não tem correspondente conhecido na literatura do Cinturão Araguaia, e tem características totalmente diferentes dos outros magmatismos basálticos de natureza oceânica reconhecido no Cinturão Araguaia.
Abstract: This work is focused in the Tucuruí region and surrounding areas, placed in the northeastern Pará State. Geologically it is part of the Araguaia Belt which mostly comprises the Tucurui Group, a Neoproterozoic magmatic-sedimentary succession. It focuses on the geological and petrological characteristics of basaltic rocks of the Tucuruí Group. The main objective is to characterize the nature of magmatism and associate it to the regional context of the Araguaia Belt. The petrographic analysis involve description of both hand sample and thin section under optical microscope, also textural analysis, microstructural characterization and rock petrological classification, including scanning electron microscopy. This study is a contribution for both the regional geological context for the Araguaia Belt and more specifically to the understand of the existing successions of basaltic flows. These basalts are part of a succession of at least two main flowr interbedded with arkosic sandstones, showing a thickness of about 15 m. Petrological studies revealed three major petrographic groups including (1) massive basalts, (2) amigdaloidal basalts and (3) stroke breccias. Furthermore, by mineralogical and textural variations, it was possible to characterize subtypes. The massive basalts represent the most significant rocks associated with the Tucuruí Group. Petrographically the basalts are aphanitic, greenish gray, homogeneous, massive and after with conchoidal fracture. They show intersetal intergranular texture. The amygdaloidal basalts are dark gray, heterogeneous, massive, aphanitic, very fine grained and with conchoidal fracture. On the textural point of view these rocks show a wide textural variation types, highlighting the intergranular textures, intersetal and also amigdaloidal textures. The main subordinate mineralogy consists of plagioclase and clinopyroxene surrounded by glassy material and opaque minerals as accessories; secondarily, epidote and chlorite. The clinopyroxene fills spaces between the laths of plagioclase, characterized as intergranular texture. This texture is supposed to define the upper parts of the stroke and is characterized by having the same dimensions of the amygdales, with diameters between 2-7 mm filled by low-temperature minerals (chlorite, quartz and epidote). The clastic fragments observed in the magmatic breccias are mostly sandstones and basalts, with sizes ranging from 1 to 10 cm. They are irregular, with angular fragments of sandstone, encompassed by the basalt. The sandstone fragments are dark reddish gray, very fine grained and strongly brecciated with quartz veins of millimeter dimensions. The basaltic parts of the breccia are dark gray, aphanitic, homogeneous, massive, with intergranular texture. Their mineralogy is essentially composed of plagioclase, clinopyroxene and less opaque minerals. As a main conclusion, its pointed out that they represent a Neoproterozic tholeiitic basaltic volcanic event that was not described before in the Araguaia Belt, characterizing as a different oceanic basalt in the Araguaia Belt.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::PETROLOGIA
Keywords: Geologia
Petrografia
Basaltos
Cinturão Araguaia
Grupo Tucuruí
Tucuruí (PA)
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Faculdade de Geologia - FAGEO/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_CaracterizacaoPetrograficaBasaltos.pdf4,4 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons