Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/1705
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Violência contra crianças e adolescentes do sexo feminino narradas pela mídia impressa paraense
metadata.dc.creator: COSTA, Raine Marques da
metadata.dc.contributor.advisor1: LIMA, Vera Lúcia de Azevedo
Issue Date: 2018
Citation: COSTA, Raine Marques da. Violência contra crianças e adolescentes do sexo feminino narradas pela mídia impressa paraense. Orientadora: Vera Lúcia de Azevedo Lima. 2018. 81 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Enfermagem) - Faculdade de Enfermagem, Instituto de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Pará, Belém, 2018. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/1705. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: INTRODUÇÃO: A violência é um fenômeno que alcança todo o gênero humano e está presente em todas as sociedades ao longo da história. Sendo compreendida como um fenômeno complexo e ocasionado por diversos fatores e, portanto, precisa ser compreendido no contexto, meio cultural e momento histórico em que acontece. Assim como mulheres, idosos, as crianças e adolescentes são consideradas entre os grupos mais vulneráveis à violência. Nos últimos anos os meios de comunicação, jornais, televisão, internet, tem mostrado de forma assustadora o avanço da violência na sociedade e, tem-se ganhado destaque que, atitudes violentas não devem ser aceitas na sociedade como naturais, mas, como violação dos direitos humanos. OBJETIVO: Analisar a violência contra crianças e adolescentes do sexo feminino narrado pela mídia impressa do Estado do Pará. METODOLOGIA: Estudo do tipo descritivo com abordagem quantitativa. Foram consultados 730 exemplares do jornal O Liberal, sendo selecionadas 334 notas de violência contra a mulher ocorridas entre os anos 2016 e 2017. Destas 99 notas foram contra crianças e adolescentes do sexo feminino ocorridas no Estado do Pará. Os dados foram coletados das notas dos jornais, agrupados e sistematizados através de um roteiro com o suporte do Programa Microsoft Office Excel 2010. Os dados obtidos foram apresentados em forma de mapa, gráficos e tabelas. A análise dos dados foi realizada a luz das publicações que versão acerca da temática estudada. RESULTADOS: Os resultados apresentam a caracterização do perfil da vítima e do autor de violência, os tipos de violência de maior prevalência e os cuidados de enfermagem frente a violência contra a crianças e adolescentes do sexo feminino. A pesquisa aponta que a maioria dos casos de violência notificados pela mídia impressa ocorre entre menor de um ano a 12 anos (61,86%) consideradas crianças segundo o ECA e, 38,14% estão as adolescentes entre 13 a 18 anos. As notas revelaram que a faixa etária predominante foi entre 10 e 12 anos. Quanto ao tipo de violência, a sexual apresentou-se em 59,60% das notas, a residência foi o local de maior ocorrência (70,52%), o estupro foi o meio empregado (61,26%), genitália o local mais atingido (55,93%) e a maioria dos casos de violência foram perpetrados por conhecidos (47, 40%). Quanto ao dia da semana, os achados são quase proporcionais, no entanto percebe-se um ligeiro crescimento ao longo da mesma e decaí ao final da semana. Com relação aos autores da violência, o sexo masculino foi o mais predominante (43,85%), com a faixa etária entre 19 e 26 anos (27,91%), a maioria dos agressores são casados (53,85%). Em relação ao vínculo com a vítima, revelou-se que a maioria são pessoas conhecidas (47,40%), quanto a profissão/ocupação, não teve uma profissão que destacou mais que as outras, foram encontrados nos mais variados níveis socioeconômicos. Conclusão: É indispensável o papel da mídia impressa para a divulgação de assuntos pertinentes que ocorrem na sociedade, contribuição para subsidiar pesquisas e trabalhos científicos e, também para o planejamento de ações estratégicas que possam coibir a violência contra crianças e adolescentes e assegurar o direito à um crescimento e desenvolvimento saudável.
Abstract: INTRODUCTION: Violence is a phenomenon that reaches all humankind and it is present in every society throughout history being known as a complex occurrence and caused by many factors and it needs to be understood amid the historical and cultural context in which it happens. Women, elders, children and adolescents are considered the most vulnerable to violence groups. Media has recently shown a scaring advance of violence in society but, at the same time, it is growing the comprehension that violent attitudes can not be naturalized but seen as human rights violations. AIM: To analyze violence against female children and adolescents narrated by print media from the State of Para. METHODOLOGY: Descriptive study in a quantitative approach that has examined 730 copies of O Liberal newspaper from which were extracted 334 violence against women notes that occurred from 2016 to 2017, 99 from those were about violence against female children and adolescent from the State of Para. Data was collected from newspaper notes and then organized in a system with the support of Microsoft Office Excel 2010 program. The data obtained were presented in the form of maps, graphs and tables. The analysis of the data was carried out in the light of the publications that version about the subject studied. FINDINGS: Findings have shown violence victims and authors profiles, most prevalent types of violence and nursing care on violence against female children and adolescents. Study has exposed that most violence cases notified by print media have victimized children between the age of 1 to 12 years old (61,86%); adolescents from 12 to 18 years old accounted for 38,14% from the cases. Most prevalent age group has been from 10 to 12 years old. Sexual violence has been most usual violence accounting for 59,60% cases; children and adolescents’ residences have been the most usual place of occurrence (70,52%); rape the most used mean (61,26%); genitals the most body part affected (55,93%); and most cases have had victims’ known people as authors (47,40%). All days of the week have basically proportional cases rate with a slight increase thought the week and decrease in weekend. Violence authors have been mostly men (43,85%) with ages between 19 and 26 years old (27,96%) and married (53,85%). There has been no a predominant occupation among offenders. CONCLUSION: It is essential the role of print media in publishing important subjects for society, contributing to academic research and helping the development of strategic actions to restrain violence against children and adolescents giving them the right of a healthy growing.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM::ENFERMAGEM PEDIATRICA
Keywords: Violência
Crianças
Mulher
Mídia
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Faculdade de Enfermagem - FAENF/ICS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_ViolenciaContraCriancas.pdf956,19 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons