Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/1681
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Biogeografia histórica da coralinofauna e briozoofauna do Mioceno do Pará e sua possível correlação com as rochas reservatórios carbonáticas das bacias costeiras do Norte Brasileiro
metadata.dc.creator: NOGUEIRA NETO, Ignácio de Loiola Alvares
metadata.dc.contributor.advisor1: TÁVORA, Vladimir de Araújo
Issue Date: 2010
Citation: NOGUEIRA NETO, Ignácio de Loiola Alvares. Biogeografia histórica da coralinofauna e briozoofauna do Mioceno do Pará e sua possível correlação com as rochas reservatórios carbonáticas das bacias costeiras do Norte Brasileiro. Orientador: Vladimir de Araújo Távora. 2010. 89 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geologia) - Faculdade de Geologia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2010. Disponível em:http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/1681. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: Apresenta os resultados da análise da Biogeografia Histórica dos corais e briozoários da Formação Pirabas, além da identificação dos seus eventos biológicos, correlacionados com os eventos geológicos que possam ter favorecido a acumulação de hidrocarbonetos nas bacias costeiras do norte do Brasil. A evolução geológica da área teve maior incremento com a fase de rifteamento na margem equatorial brasileira ocorrida entre o Barremiano e Aptiano, ampliou a Bacia da Foz do Amazonas e individualizou o sistema de grabens Gurupi e a Bacia do Marajó. A continuidade deste rifteamento favoreceu em tempos albianos a formação das bacias Pará-Maranhão e Barreirinhas, bem como do Oceano Atlântico. A análise integrada da geohistória dos corais escleractíneos e briozoários registrados na Formação Pirabas favorece entender a evolução filogenética, reconhecer os seus eventos biológicos mais significativos, como resposta a geodinâmica da Terra naquele momento. As rochas reservatório carbonáticas estão incluídas nas formações Ilha de Santana (Bacia Pará-Maranhão) e Amapá (bacias Foz do Amazonas e Caciporé), de idade terciária e correlacionáveis entre si, e também com a Formação Marajó (Bacia do Marajó), todas consideradas correlatas com a Formação Pirabas. Os dados levantados possibilitaram sugerir que a rápida proliferação biótica da coralinofauna e briozoofauna ocorrida durante o Cretáceo, foi impulsionada por um evento similar nas algas clorofíceas (verdes), coralináceas simbiontes (vermelhas), foraminíferos, fungos marinhos e dinoflagelados, elementos que compõem a cadeia de produtividade primária nos ambientes marinhos. O rico registro destes invertebrados na Formação Pirabas, supõe que este novo pulso dos corais e briozoários pode ser utilizado como guia para pesquisas exploratórias de hidrocarbonetos, pois existe uma coincidência temporal entre os eventos biológicos e, a deposição e conteúdo biótico das rochas de composição carbonática onde estão encerrados, atribuídas como reservatório nas bacias sedimentares Pará-Maranhão e Foz do Amazonas.
Abstract: This work deals the Historical Biogeography`s analysis of corals and bryozoans in the Pirabas Formation, as well as identify their biological events, correlated with geological events that may have led to the accumulation of hydrocarbons in the coastal basins of northern Brazil. The geological evolution of the area in the Barremian and Aptian times was marked by the rifting phase in the Brazilian equatorial margin, widening the mouth of the Amazon Basin and the grabens Gurupi and Marajó Basin. During the Albian the continuity of the rifting supports the formation of Pará-Maranhão and Barreirinhas basins and Atlantic Ocean. The integrated analysis of geohistory of scleractinian corals and bryozoans registered in the Pirabas Formation helps in recognize its phylogenetic, and the greatest morphoanatomic innovations as response to Earth's geodynamics. The carbonates reservoir rocks included in the Ilha de Santana (Para-Maranhão Basin) and Amapá (Foz do Amazonas and Caciporé basins) formations, tertiary deposits correlated with the Marajó (Marajó Basin), and Pirabas formations. The data collected suggest that the rapid biotic proliferation of coralinofauna and briozoofauna occurred during the Cretaceous also did affect the chlorophyceae and, coralline algae, foraminifera, fungi and dinoflagellates. The rich record of these invertebrates in Pirabas Formation suggest that the new pulse of corals and bryozoans can be used as a guide for exploratory oil, because the age of the biological events, deposition and biotic content of carbonate rocks assigned as a reservoir in the Pará-Maranhão and Foz do Amazonas sedimentary basins, are syncronous.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Keywords: Biogeografia histórica
Sistemas Petrolíferos
Hidrocarbonetos
Formação Pirabas
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Faculdade de Geologia - FAGEO/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tcc_BiogeografiaHistoricaCoralinofauna.pdf4,04 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons