Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/1677
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Fácies, palinologia e icnologia dos depósitos glaciais e pós-glaciais (Neodevoniano-Eocarbonífero), sudoeste da bacia do Parnaíba, região de Pedro Afonso, TO
metadata.dc.creator: SILVA, Thiago José Jardim
metadata.dc.contributor.advisor1: NOGUEIRA, Afonso César Rodrigues
Issue Date: 2011
Citation: SILVA, Thiago José Jardim. Fácies, palinologia e icnologia dos depósitos glaciais e pós-glaciais (Neodevoniano-Eocarbonífero), sudoeste da bacia do Parnaíba, região de Pedro Afonso, TO. Orientador: Afonso César Rodrigues Nogueira. 2011. 104 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geologia) - Faculdade de Geologia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2011. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/1677. Acesso em:
metadata.dc.description.resumo: Os depósitos do Devoniano Superior ao Carbonífero Inferior do sudoeste da Bacia do Parnaíba, representado pelas formações Cabeças e Longá, ocorrem em excelentes exposições na região de Pedro Afonso, estado do Tocantins. A análise faciológica destes depósitos permitiu a individualização de nove litofácies distribuídas em três associações de fácies (AF) distintas: AF1) depósitos subglaciais de alojamento e AF2) frente deltáica, ambos da Formação Cabeças; e AF3) face litorânea inferior (shoreface) a costa afora (offshore) da Formação Longá. A AF1 consiste em: diamictito maciço, composto por grânulos e seixos de composição variada (arenito, quartzito e granito) dispersos numa matriz pelítico-arenosa. O diamictito cisalhado contém fragmentos de arenito de tamanhos variados (desde 1cm até, aproximadamente, 5m de diâmetro), imersos em uma matriz pelítico-arenosa, sendo, as vezes, cortado por falhas normais. Em alguns casos os fragmentos de arenito são contorcidos, internamente exibem planos de deslocamentos inversos, além de foliações subhorizontais. A AF2 é composta por arenitos com geometria lobada e acamamento maciço, e com estruturas do tipo ball-and-pillow. A AF3 é representada por folhelhos e subordinadamente por arenitos finos a grossos e seixosos. Os arenitos grossos seixosos da Formação Longá têm acamamento maciço representando um lag transgressivo. Os folhelhos intercalados com arenitos finos com presença de marcas onduladas, acamamentos wavy e linsen, laminação cruzada, estratificação cruzada hummocky e intensa bioturbação; megamarcas onduladas isoladas (starved megaripples) ocorrem em arenitos grossos. Através do estudo dos componentes particulados orgânicos do diamictito maciço da Formação Cabeças e do folhelho da Formação Longá, identificaram-se algas prasinófitas, acritarcos, esporos, quitinozoários, fitoclastos opacos e não-opacos (não-bioestruturado, bioestruturado e cutículas) e material orgânico amorfo (MOA e resina). Estes componentes corroboram o ambiente costeiro da Formação Cabeças, denominada de palinofácies A. Da mesma forma o ambiente plataformal distal disóxicoanóxico correspondente a Palinofácies B, é confirmado para a Formação Longá. Com base na identificação dos esporos das formações Cabeças e Longá, observou-se que as primeiras localizam-se no Devoniano Superior (Famenniano Médio a Superior), entre as biozonas VH e LN e as últimas se posicionam na transição Devoniano-Carbonífero (Famenniano Superior a Viseano Médio), entre as biozonas LN e NM. O ambiente da Palinofácies B também foi fornecido pela assembléia de icnofósseis da Formação Longá representadas pelas icnoespécies Bergaueria isp., Cruziana isp., Helminthopsis abeli, Lockeia isp. e Palaeophycus isp., sendo característicos da icnofácies Cruziana. A sucessão de fácies estudada revelou que durante o Neodevoniano-Eocarbonífero, no sudoeste da Bacia do Parnaíba, foi implantado um sistema flúvio-deltáico retrabalhado por fases de avanços e recuo de geleiras costeiras (Formação Cabeças). Após a glaciação neodevoniana a sucessão costeiro-glacial foi recoberta por depósitos pós-glaciais marinhos da Formação Longá.
Abstract: The Upper Devonian to Lower Carboniferous deposits of southwestern Parnaíba Basin, represented by the Cabeças and Longá formations, occur excellent outcrops in the Pedro Afonso region, state of Tocantins, northern Brazil. The facies analysis of these deposits allowed the identification of nine lithofacies divided into three distinct facies associations (FA): FA1) lodgment subglacial deposits and FA2) delta front, both of Cabeças Formation, and FA3) lower shoreface to offshore from Longá Formation. The FA1 consists of: massive diamictite with granules and pebbles (sandstone, quartzite and granite) disseminated in a muddy-sandy matrix; sheared diamictite with fragments of sandstone (1 cm to 5 m in diameter), into of a muddy-sandy matrix, and sometimes cutted by normal faults. In some cases, fragments are contorted and internally exhibit thrust faults and subhorizontal foliation. The FA2 is composed of massive bedded sandstone with lobed geometry and ball-and-pillow structure. The FA3 consists in shales and subordinate fine to coarse-grain and pebbly sandstones. The pebbly sandstones exhibits massive bedding has been interpreted as transgressive lag. The shales are interbedded with sandstones thin beds with ripples marks, wavy-linsen bedding, cross lamination, hummocky cross-stratification and intense bioturbation; starved megaripples occur in coarse to pebbly sandstones. Particulate organic components in the massive diamictite of Cabeças Formation and shale of Longá Formation, are represented by prasinophytes algae, acritarchs, spores, chitinozoans, opaque and nonopaque (non-biostructured, biostructured and cuticles) phytoclasts and amorphous organic material (AOM and resin). These components, named Palynofacies A, corroborate the coastal environment of Cabeças Formation. Likewise the offshore environment (distal shelf) disoxicanoxic is confirmed to Longá deposits corresponding to Palynofacies B. Trace fossils of Longá Formation are represented by ichnospecies Bergaueria isp., Cruziana isp., Helminthopsis abeli, Lockeia isp. and Palaeophycus isp., all of them been icnofacies Cruziana. The studied succession recorded that during the Neodevonian-Eocarboniferous in southwestern Parnaíba Basin, a fluvial-deltaic system implemented by ice-melting was sucessively reworked by advance and retreat of coastal glaciers (Cabeças Formation). After this the coastal glacial succession was succeeded by post-glacial transgression of (Longá Formation).
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::PALEONTOLOGIA ESTRATIGRAFICA
Keywords: Fácies
Palinologia
Icnologia
Depósitos glaciais e pós-glaciais
Bacia do Parnaíba
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Faculdade de Geologia - FAGEO/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_FaceisPalinologiaIcnologia.pdf28,07 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons