Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/1547
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Malformações congênitas no estado do Pará, Brasil: uma avaliação através do Sistema de Informação Sobre Nascidos Vivos (SINASC)
metadata.dc.creator: PARENTE, Angeline do Nascimento
metadata.dc.contributor.advisor1: PARENTE, Andressa Tavares
Issue Date: 2017
Citation: PARENTE, Angeline do Nascimento. Malformações congênitas no estado do Pará, Brasil: uma avaliação através do Sistema de Informação Sobre Nascidos Vivos (SINASC). Orientadora: Andressa Tavares Parente. 2017. 61 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Enfermagem) - Faculdade de Enfermagem, Instituto de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Pará, Belém, 2017. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/1547 . Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: Introdução: As malformações congênitas caracterizam-se por anomalias estruturais presentes ao nascimento como consequência de um fator originado durante o desenvolvimento, podendo ser fatores genéticos, ambientais ou desconhecidos. Estima-se que, mundialmente, 7,9 milhões de pessoas nascem com algum tipo de malformação congênita e cerca de 85% dos casos de malformações congênitas ocorrem em países em desenvolvimento. Atualmente as anormalidades congênitas compreendem a segunda maior causa de mortalidade infantil em crianças menores de 1 ano no Brasil. Objetivo: Avaliar a prevalência de malformações congênitas no estado do Pará no período de 2014 a 2015, usando o Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC). Metodologia: Trata-se de um estudo epidemiológico, descritivo, retrospectivo de cunho quantitativo e seccional sobre os nascidos vivos com malformações congênitas no estado do Pará, no período de 1º de janeiro de 2014 a 31 de dezembro de 2015, através das informações armazenadas em bancos de dados do SINASC, fornecidas pela Secretaria Estadual de Saúde do Pará (SESPA). Resultados: Foram notificados 287.015 nascimentos no estado do Pará, dentre os quais 1162 tiveram algum tipo de malformação congênita. A prevalência total de malformações congênitas nos nascidos vivos no Pará foi de 40,6 por 10.000 nascidos vivos. As mais frequentes foram do aparelho osteomuscular, seguido do sistema nervoso central e fenda labial e/ou palatina. A baixa ingestão de ácido fólico pela população paraense, especialmente os povos ribeirinhos, associados às condições socioeconômicas, extensão territorial e dificuldade ao acesso à saúde, contribuíram para a elevada prevalência de malformações no Estado. A maioria dos casos nasceram em hospitais públicos (Municipais e Estaduais). A maior frequência de malformações congênitas ocorreu em mulheres com 20 a 34 anos de idade, com até 12 anos de estudo e que receberam até 6 ou menos consultas pré-natais. Considerações Finais: É necessária a criação de políticas públicas que atendam as reais necessidades dos povos amazônicos e que conduzam a melhoria das condições de vida dessa população. Assim como, a garantia do acesso aos serviços de saúde, acompanhamento reprodutivo e pré-natal planejados e detalhados a fim de prevenir as malformações congênitas, por meio da adequada suplementação com ácido fólico, promoção do diagnóstico intrauterino das malformações, consultas pré-natais eficientes e por fim, propõese uma revisão da fortificação de alimentos com ácido fólico, tanto o tipo de alimento quanto a quantidade ingerida de ácido fólico devem ser revisadas, especialmente devido às peculiaridades dos povos amazônicos, para que estas populações também possam se beneficiar desta política pública.
Abstract: Introduction: Congenital malformations are characterized by structural abnormalities present at birth as a consequence of a factor originated during development, and may be genetic, environmental or unknown factors. It is estimated that, worldwide, 7.9 million people are born with some type of congenital malformation and about 85% of cases of congenital malformations occur in developing countries. Currently, congenital abnormalities comprise the second largest cause of infant mortality in children under 1 year of age in Brazil. Aim: To evaluate the prevalence of congenital malformations in the State of Pará in the period from 2014 to 2015, using the Live Birth Information System (SINASC). Methodology: This is an epidemiological, descriptive, retrospective quantitative and sectional study on live births with congenital malformations in the state of Pará, from January 1st, 2014 to December 31st, 2015, through the information stored in SINASC databases, provided by the Pará State Department of Health (SESPA). Results: 287,015 births were reported in the state of Pará, of which 1162 had some type of congenital malformation. The total prevalence of congenital malformations among live births in Pará was 40.6 per 10,000 live births. The most frequent were the anomalies of the osteomuscular apparatus, followed by the central nervous system and cleft lip and/or palate. The low ingestion of folic acid by the Pará's population, especially the riverines, associated with socioeconomic conditions, territorial extension and difficulties in accessing health care services, contributed to the high prevalence of malformations in the State. Most of the cases were born in public hospitals (Municipal and State). The highest frequency of congenital malformations occurred in women 20 to 34 years of age, with up to 12 years of schooling and who received up to 6 or fewer prenatal visits. Final Considerations: It is necessary to create public policies that meet the real needs of the Amazonian population and that lead to the improvement of the living conditions of this population. As well as guaranteeing access to health services, planned and detailed reproductive and prenatal care to prevent congenital malformations, through adequate supplementation with folic acid, promotion of intrauterine diagnosis of malformations, efficient prenatal consultations and finally, it is proposed a review of the fortification of foods with folic acid, both the type of food and the amount of folic acid ingestion should be reviewed, especially due to the peculiarities of the Amazon people, so these populations can also benefit from this public policy
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM::ENFERMAGEM DE SAUDE PUBLICA
Keywords: Epidemiologia
Malformações congênitas
Pará
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Faculdade de Enfermagem - FAENF/ICS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_MalformacoesCongenitasEstado.pdf898,09 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons