Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/1479
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Estressores em unidade de terapia intensiva: uma revisão integrativa de literatura
metadata.dc.creator: GUIMARÃES, Débora Suellen de Oliveira
metadata.dc.contributor.advisor1: TAVARES, Roseneide dos Santos
Issue Date: 2013
Citation: GUIMARÃES, Débora Suellen de Oliveira. Estressores em unidade de terapia intensiva: uma revisão integrativa de literatura. Orientadora: Roseneide dos Santos Tavares. 2013. 48 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Enfermagem) - Faculdade de Enfermagem, Instituto de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Pará, Belém, 2013. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/1479. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: A Unidade de Terapia Intensiva é considerada um ambiente estressante, que influencia na recuperação do paciente tornando-a mais lenta, além do que, os estressores podem agravar o quadro de internação, pois causam desconforto tornando o paciente mais vulnerável. Neste sentido, objetivou-se analisar as publicações disponíveis nas bases de dados que discutem os estressores encontrados nas Unidades de Terapia Intensiva. Realizamos revisão integrativa da literatura, utilizando as bases de dados LILACS, os descritores Enfermagem, Unidade de Terapia Intensiva e Estressores; artigos completos no idioma português, publicados no período de 2002 a 2012. O refinamento resultou em nove (09) publicações. Nestas identificamos os seguintes estressores: barulho dos equipamentos, a iluminação constante, a baixa temperatura, a falta de privacidade, a solidão, a dor, a própria equipe de saúde, o fato de estar ligado a tubos e drenos, a ausência da família, a perda da autonomia, entre outros, que acabam por interferir na recuperação do paciente. Diante dos avanços e constantes mudanças na UTI, verificamos que a hospitalização apesar de necessitar de maior cuidado, de uso de equipamentos sofisticados e de um olhar profissional mais direto ao paciente com uma assistência contínua, causa maior estresse e limitação ao paciente. Neste sentido, a identificação dos estressores possibilitará melhores intervenções por parte da equipe de saúde, principalmente dos enfermeiros, para amenizar os estressores da UTI. Conclui-se que, para amenizar os estressores, os profissionais envolvidos na assistência ao paciente crítico devem refletir sobre a importância de ouvir o paciente e esclarecer suas dúvidas quando possível, bem como conhecer suas necessidades e o significado cultural atribuído à internação em UTI, para assim, replanejar a assistência e promover um ambiente mais humanizado, atento as necessidades individuais dos pacientes.
Abstract: The Intensive Care Unit is considered a stressful environment, which influences the patient's recovery making it slower, and besides, the stressors can worsen the hospitalization once they cause discomfort making the patient more vulnerable. Therefore, this study aimed to analyze the publications available in databases that discuss the stressors encountered in Intensive Care Units. We conducted a literature review using the LILACS databases, using as descriptors Nursing, Intensive Care Unit and Stressors; complete articles in Portuguese, published between 2002-2012. The refinement resulted in nine (09) publications. In these were identified the following stressors: equipment noises, constant lighting, low temperature, lack of privacy, the loneliness, the pain, even the hospital staff, the fact of being connected to pipes and drains, the absence of family, loss of autonomy, among others, that eventually interfere with the patient's recovery. Given the constant changes and advancements in the ICU, we found that hospitalization despite the need for greater care, the use of more sophisticated equipment and a more direct professional look to the patient with ongoing support, causes greater stress and limitation to the patient. Therefore, the identification of stressors enable better interventions by the health care team, especially nurses, to alleviate the stressors of ICU. We conclude that, to alleviate the stressors, the professionals involved in critical patients care should reflect on the importance of listening to the patient and answering their questions whenever possible, as well as knowing their needs and cultural significance attributed to the ICU, in order to, replan the assistance and promote a more humane environment, which attends to the needs of the patient individually.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM
Keywords: Unidades de Terapia Intensiva
Estressores
Pacientes
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Faculdade de Enfermagem - FAENF/ICS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_UnidadeTerapiaIntensiva.pdf443,77 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons