Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/1410
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Propagação de maré na baía do Marajó e seus principais tributários
metadata.dc.creator: SANTOS, Arthur Souza dos
metadata.dc.contributor.advisor1: NASCIMENTO, Inaê de Brito Albuquerque
metadata.dc.contributor.advisor-co1: ROLLNIC, Marcelo
Issue Date: 18-Dec-2013
Citation: SANTOS, Arthur Souza dos. Propagação de maré na baía do Marajó e seus principais tributários. Orientadora: Inaê de Brito Albuquerque Nascimento. 2013. 42 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Oceanografia) – Faculdade de Oceanografia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2013. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/1410. Acesso em: .
metadata.dc.description.resumo: A vasta rede hidrográfica da região Amazônica, ao se aproximar de sua foz, assume características oceanográficas originando um ecossistema tipicamente estuarino. A maré é a variação do nível do mar causado por forçantes astronômicas, sua propagação em um estuário é resultado principalmente de seu movimento oscilatório na desembocadura e do escoamento fluvial. Sob esses efeitos encontra-se a baía do Marajó, um estuário formado principalmente pelas águas provenientes dos rios Pará, Tocantins e da baía do Guajará. Nesse contexto objetivou-se determinar o padrão de propagação de maré na baía do Marajó e seus principais tributários, identificando seus harmônicos e as diferenças de fase entre pontos distintos do estuário. No qual foram adquiridos dois anos de dados de maré de uma estação localizada na Base Naval de Val-de-Cães em Belém, além de uma rede de sensores de pressão instalados nas duas margens da baía do Marajó e no encontro dos rios Pará e Tocantins. O estudo foi realizado durante o período de 2012 e 2013 e as análises foram feitas separadamente entre as porções do estuário. A região apresenta um decréscimo da amplitude da maré em direção à jusante, possuindo um regime de meso a macromaré, a porção central apresentou amplitudes de até 3,5 metros na sizígia e a defasagem na preamar entre o ponto externo e o ponto interno foi de aproximadamente 4 horas.
Abstract: The wide hydrographic network of Amazon region, approaching from its mouth assumes oceanographic features and gives rise to an estuary ecosystem. The tide is the variation of sea levels caused by astronomical forcings, its propagation in an estuary mainly results its oscillatory motion in the river mouth and runoff. Under that natural effect is the Marajó bay, an estuary formed mainly by water from the Pará and Tocantins rivers and Guajará bay. Inside that context, the objective was to determinate the pattern of tide propagation in the Marajó bay and its major tributaries, identifying its harmonics and phases differences between distinct points in the estuary. For this analysis, tidal data were collected for two years at a station located in Val-de-Cães Naval Base in Belém, as well as a pressure sensors network installed on both sides of the Marajó bay and where Pará and Tocantins rivers meet each other. The study was conducted between 2012 and 2013. The analyzes were performed separately in each portion of the estuary. The region shows a decrease in the amplitude of the tide toward the downstream, showing regime of meso to macrotidal, the central portion presented amplitudes of up to 3.5 meters in the spring tide and the delay at the high tide between the outer section and the inner section was about four hours.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::OCEANOGRAFIA
Keywords: Marés
Análise harmônica
Baía do Marajó
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Faculdade de Oceanografia - FAOC/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_PropagacaoMareBaia.pdf1,34 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons