Please use this identifier to cite or link to this item: https://bdm.ufpa.br:8443/jspui/handle/prefix/1242
Compartilhar:
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação
Title: Avaliação das reações adversas e do desfecho clínico em pacientes tratados para tuberculose multirresistente atendidos no Hospital Universitário João de Barros Barreto
metadata.dc.creator: FANZLAU, Christe Ellen Batista
SÁ, Dayanne Aline Bezerra de
metadata.dc.contributor.advisor1: ALBERIO, Carlos Augusto Abreu
Issue Date: 2017
Citation: FANZLAU, Christe Ellen Batista; SÁ, Dayanne Aline Bezerra de. Avaliação das reações adversas e do desfecho clínico em pacientes tratados para tuberculose multirresistente atendidos no Hospital Universitário João Barros Barreto. Orientador: Carlos Augusto Abreu Alberio. 2017. 59 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Medicina) - Faculdade de Medicina, Instituto de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Pará, Belém, 2017. Disponível em: http://bdm.ufpa.br/jspui/handle/prefix/1242. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: Objetivo: Avaliar o impacto de reações adversas no desfecho clínico em pacientes tratados para tuberculose multirresistente atendidos no Hospital Universitário João de Barros Barreto. Metodologia: Estudo observacional analítico do tipo coorte retrospectivo dos casos de Tuberculose Multirresistente cadastrados no SITE-TB, que realizaram tratamento no período de janeiro de 2010 a dezembro de 2015.Resultados: Foram avaliados 152 pacientes que se apresentaram com uma média de idade de 40,2 anos, predominando o sexo masculino (65,1%), na raça parda (69,1%). A maioria dos pacientes tinha menos de sete anos de estudo (62.4%) e se concentra na região metropolitana de Belém (73,7%), com predomínio de desempregados (25%). Parcela significativa apresentou resistência secundária (88,2%). Em relação ao consumo de drogas o uso do álcool foi mais frequente (20,4%), seguido por drogas ilícitas (16,5%) e tabaco (5,3%). A presença de comorbidades foi baixa (27,6%), sendo que o Diabetes Mellitus foi a mais comum (23%). Metade dos pacientes do estudo apresentou reações adversas e as mais frequentes foram artralgia (31,6%), epigastralgia (15,1%) e neuropatia periférica (5,3%). O desfecho clinico favorável ocorreu em 77% dos casos. O gênero masculino (26,3%) apresentou mais desfecho desfavorável quando comparado ao feminino (17%). Dentre as ocupações, os desempregados apresentaram o maior percentual de desfecho desfavorável (39,5%). Dentre os pacientes que apresentavam comorbidade, a maioria apresentou desfecho favorável (88,1%). Assim como, os que apresentaram efeitos adversos também tiveram mais desfecho favorável (79,0%), entretanto, esse dado não obteve significância estatística (p=0,563). Os usuários de drogas ilícitas e tabaco apresentaram maior frequência de desfecho desfavorável (56,0% e 62,5%, respectivamente). E entre os usuários de álcool, a maioria teve desfecho favorável (54,8%). Conclusão: A tuberculose multirresistente se mantém como um importante problema de saúde pública, com frequência elevada, principalmente entre a população economicamente ativa. Determinadas situações influenciam no desfecho clínico do tratamento contribuindo para a disseminação de cepas multirresistentes.
Abstract: Objective: To evaluate the impact of adverse reactions on the clinical outcome in patients treated for multiresistant tuberculosis treated at the University Hospital João de Barros Barreto. Methodology: An observational, retrospective cohort study of cases of multidrug-resistant tuberculosis registered on SITE-TB, which underwent treatment from January 2010 to December 2015. Results: A total of 152 patients who presented with a mean age of 40, 2 years old, predominantly male (65.1%), brown breed (69.1%). The majority of the patients had less than seven years of study (62.4%) and was concentrated in the metropolitan region of Belém (73.7%), with a predominance of the unemployed (25%). Significant share presented secondary resistance (88.2%). Regarding drug use, alcohol use was more frequent (20.4%), followed by illicit drugs (16.5%) and tobacco (5.3%). The presence of comorbidities was low (27.6%), and Diabetes Mellitus was the most common (23%). Half of the patients in the study had adverse reactions and the most significant were arthralgia (31.6%), epigastric pain (15.1%) and peripheral neuropathy (5.3%). The favorable clinical outcome was predominant in 77% of the cases. The male gender (26.3%) presented more unfavorable outcome when compared to the female (17%). Among the occupations, the unemployed had the highest percentage of unfavorable outcome (39.5%). Among the patients presenting with comorbidity, the majority presented a favorable outcome (88.1%). As well as those with adverse effects also had a more favorable outcome (79.0%), however this data did not reach statistical significance (p = 0.563). The users of illicit drugs and tobacco showed a higher frequency of unfavorable outcomes (56.0% and 62.5%, respectively). In contrast, among alcohol users, the majority had a favorable outcome (54.8%). Conclusion: Multidrug-resistant tuberculosis remains an important public health problem, with high frequency, especially among the economically active population. Certain situations influence the clinical outcome of the treatment contributing to the dissemination of multidrug-resistant strains.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::CLINICA MEDICA
Keywords: Tuberculose multirresistente (TBMR)
Reações adversas
Desfecho clínico
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source.uri: Disponível na internet via correio eletrônico: bibsaude@ufpa.br
Appears in Collections:Faculdade de Medicina - FAMED/ICS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_AvaliacaoReacoesAdversas.pdf1,39 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons